O Grupo Stellantis está a apostar forte na eletrificação da sua gama de modelos das suas principais marcas, desenvolvendo, ao mesmo tempo, soluções de mobilidade com hidrogénio.

Depois da Opel ter revelado o Vivaro-e Hydrogen (cujo primeiro cliente a receber o modelo alemão será a Miele) e da Citroën ter colocado à disposição do Grupo SUEZ um ë-Jumpy Hydrogen para ensaios, é a vez da Peugeot ter feito sair da linha de montagem o irmão gémeo, o e-Expert Hydrogen.

Considerando que “é um momento histórico para a marca”, o construtor acentua o facto de se tornar num dos primeiros fabricantes a oferecer uma versão elétrica alimentada por uma pilha de combustível a hidrogénio (hydrogen fuell cell) no segmento dos veículos comerciais, em complemento às tradicionais versões térmicas e elétricas a bateria.

Vantagens da propulsão a hidrogénio

“A tecnologia elétrica alimentada a hidrogénio permite uma utilização diária intensiva sem a imobilização inerente aos carregamentos, no que é uma vantagem decisiva para os profissionais que, num mesmo dia, devem percorrer várias centenas de quilómetros em autoestrada, para depois entrar em zonas urbanas com restrições em termos de emissões. A tecnologia a hidrogénio desenvolvida pela Stellantis e implementada no nosso Peugeot e-Expert Hydrogen torna possíveis todas essas utilizações”, afirma Linda Jackson, CEO da marca Peugeot.

Peugeot e-Expert Hydrogen

O furgão a hidrogénio da Peugeot integra todo o sistema “mid-power plug-in hydrogen fuel cell electric” no compartimento do motor e sob o piso da carroçaria. “Como resultado, não há qualquer tipo de cedência em termos de volume de carga, ao mesmo tempo que se obtém um baixo centro de gravidade, garantia de estabilidade, segurança e agilidade”, sublinha a marca francesa.

O primeiro cliente a quem será entregue a primeira viatura e-Expert Hydrigen, antes das festividades de final do ano, é a Watea by Michelin, jovem subsidiária dedicada a soluções de mobilidade verde, do Grupo Michelin.

O e-Expert Hydrogen tem como base o e-Expert alimentado a bateria. É produzido em França, nas instalações de Hordain (Nord, Hauts de France), sendo depois transformado na Alemanha, em Russelsheim, no centro de competências da Stellantis, dedicado à tecnologia do hidrogénio.

O novo Peugeot e-Expert Hydrogen possui uma pilha de combustível que produz a eletricidade para a propulsão do veículo, graças ao hidrogénio incorporado no depósito.

A bateria de iões de lítio de alta tensão apresenta uma capacidade de 10,5 kWh e é recarregável na rede elétrica.

O Peugeot e-Expert Hydrogen reabastece com hidrogénio em três minutos, anuncia uma autonomia superior a 400 km no ciclo de homologação WLTP (valor ainda em processo de homologação) e tem uma velocidade máxima de 130 km/h.

O modelo tem dois comprimentos disponíveis (Standard e Long) com as mesmas características de volume de carga que as versões Diesel e a bateria elétrica.

Pilar para a transição energética

Para a Peugeot, o hidrogénio está a tornar-se num dos principais pilares da transição energética, com o anúncio de múltiplos projetos internacionais. “Na Europa, em particular, o ecossistema está a desenvolver-se e os investimentos da European Clean Hydrogen Alliance para promover esta solução estão estimados em cerca de 60 mil milhões de euros”, evidencia o construtor.

A Peugeot realça que, graças aos planos governamentais, o número de estações de hidrogénio na Europa “está constantemente a aumentar”, sendo que a marca francesa “trabalha diretamente com fornecedores de energia para disponibilizar pacotes de ofertas”.

Artigo anteriorProjeto de Data Science vai acelerar micromobilidade em Matosinhos
Próximo artigoEste condutor mudou para um elétrico aos 87 anos: e está a adorar!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of