A Izidoro tem investido na sua estratégia de sustentabilidade ambiental desde 2018. O grupo, 100% português e de referência na área da charcutaria, pretende diminuir a sua pegada ecológica e incentivar à reciclagem. Nesse sentido decidiu substituir as tradicionais embalagens plásticas por uma alternativa menos prejudicial para o meio ambiente.

Os produtos frescos e transformados da Izidoro passam a ser-nos apresentados nas Eco Skin. Embalagens que, graças à incorporação de cartão, contêm menos 70% de plástico do que as anteriores. Além disso, são produtos 100% recicláveis tendo em conta que os materiais que compõem as Eco Skin são facilmente separáveis pelo consumidor.

Ao implicarem um embalamento a vácuo, que resulta no prolongamento da validade dos alimentos, as Eco Skin também contribuem para a redução do desperdício alimentar. Neste caso concreto, as novas embalagens vão ajudar a conservar durante mais tempo os produtos frescos da gama Veggie Lovers da Izidoro e os produtos transformados da gama Tapas da marca Damatta.

Em prol da sustentabilidade ambiental, a Izidoro também optou por integrar 58% de matéria-prima reciclada nos seus tradicionais frascos e latas 100% recicláveis. Através desta mudança o grupo pretende materializar a sua aposta em economia circular e sensibilizar os consumidores para a importância da reciclagem.

Também os fiambres Izidoro, mais precisamente o packaging em que são acondicionados, sofreu melhorias. O alimento passou a ser comercializado em embalagens dotadas do sistema “Abre e Fecha” que , explica a empresa em comunicado, “garante uma segunda vida à embalagem e contribui para a redução do desperdício”. No setor dos fiambres a gramagem do plástico também foi cortada em 15%.

Com a implantação deste conjunto de ações que acabámos de referir, a Izidoro prevê conseguir diminuir em cerca de 60 toneladas a quantidade de plástico que utiliza anualmente no seu negócio.

O investimento da marca em energias renováveis

O compromisso da Izidoro para com a sustentabilidade ambiental vai mais além da aposta em embalagens com menor pegada ecológica. Em 2020 o Grupo Montalva/Izidoro concluiu a instalação de painéis solares fotovoltaicos em quatro das suas unidades industriais localizadas no Montijo, Torres Novas, Milharado e Santarém. 

Uma parte significativa da energia da empresa é agora produzida com recurso a energias renováveis, o que resulta numa pegada carbónica mais modesta. Em comunicado avançam-nos que “com a implementação definitiva deste projeto o grupo vai conseguir uma redução das emissões de 2.400 toneladas de CO2 por ano”.

Artigo anteriorDrones nas cidades: projeto financiado pela União Europeia em teste
Próximo artigoProdução de hidrogénio renovável em Sines avança com o projeto GreenH2Atlantic

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of