À margem do CES (Consumer Electronics Show) 2022, maior evento de tecnologia do mundo, a Volvo anunciou que vai lançar, em breve, uma nova funcionalidade que permite condução autónoma não assistida (Ride Pilot), junto dos seus clientes, nos EUA.

A marca adianta ainda que uma vez homologado e credenciado para utilização em autoestradas, o Ride Pilot irá estar disponível como uma subscrição adicional no próximo SUV totalmente elétrico da marca, que será revelado no final de 2022.

Testes piloto para condução autónoma na Califórnia

Em meados deste ano, a Volvo Cars pretende iniciar os testes de condução autónoma nas estradas da Califórnia, uma vez verificado que é seguro e quando todas as aprovações necessárias forem asseguradas. A ideias depois é gradualmente lançar a tecnologia noutros mercados e regiões em todo o mundo.

O nome Ride Pilot implica que quando o automóvel está a conduzir sozinho, a Volvo assume a responsabilidade pela condução.

Sensores e software para condução autónoma

Neste sistema, há mais de duas dúzias de sensores, incluindo o sensor Iris LiDAR, da Luminar e o software, com atualizações over the air, é desenvolvido pela empresa de programação de condução autónoma (AD) Zenseact em conjunto com a equipa interna da Volvo e da Luminar, um dos seus parceiros tecnológicos.

Ilustração de mudança de faixa, com o Iris LiDAR da Luminar

O sensor LiDAR da Luminar irá complementar cinco radares, oito câmaras e dezasseis sensores ultrassónicos no próximo SUV totalmente elétrico da Volvo, avança a marca.

“Esta configuração padrão de sensores proporciona uma excelente fiabilidade de visão e perceção”, garante o fabricante.

Infotainment melhorado

No contexto da parceria entre a Volvo Cars e a Google, o construtor anunciou que irá lançar uma integração direta com o ecossistema Google Home bem como outros dispositivos Google Assistant.

Na prática, isto enriquecerá o infotainment das viaturas (como acesso à plataforma YouTube) e permitirá que os donos de modelos Volvo controlem as funções do seu veículos por meio de comandos de voz, frequentemente usados em dispositivos domésticos e móveis habilitados para o Google Assistant.

Artigo anteriorConheça as quatro novas estações do Metropolitano de Lisboa
Próximo artigoTransportes públicos gratuitos e desconto de 50% em Lisboa: medidas propostas para 2022

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of