A Soladrilho instalou uma central fotovoltaica com uma potência de 537 kWp, com uma produção anual estimada de 829 MWh. Este projeto, desenvolvido em parceria com a Helexia, vai permitir à empresa de cerâmica no Entroncamento reduzir a fatura energética e poupar o ambiente por evitar a emissão de 373 toneladas de CO2 por ano.

“O consumo de energia representa cerca de 30% na estrutura de custos, sendo que a Soladrilho já possui uma unidade de cogeração alimentada a gás natural, cuja eletricidade é vendida à rede, com aproveitamento do calor no processo produtivo”, explica Luís Pinho, country director da Helexia Portugal.

O projeto, com um investimento de 800 mil euros, além de contribuir para a preservação do ambiente permitiu ainda remover 11.200 m2 de coberturas de fibrocimento, material que contém amianto, e substituir por coberturas em painel sandwich.

A parceria entre a Helexia e a Soladrilho representa mais uma “contribuição da Helexia à transição energética, económica e ecológica de um setor produtivo e exportador nacional”, comenta Luís Pinho

A Soladrilho tem volume de negócio de cerca de 7,9 milhões de euros, exportando cerca de 85% da sua produção para mercados como França, Espanha, China, Rússia e Estados Unidos.

Em comunicado, a Helexia pormenoriza ainda que “o setor da cerâmica em Portugal é eminentemente exportador e para se ser competitivo e manter a boa performance do volume de negócios neste mercado global, obriga a uma gestão minuciosa de vários fatores.  Sendo um forte consumidor de energia, representando o gás e a eletricidade uma fatia muito importante do custo industrial. A instalação da central fotovoltaica na Soladrilho contribui para uma redução dos custos com a eletricidade e o reforço da imagem corporativa sustentável da empresa”.

Artigo anteriorA tecnologia que permitiu fazer nascer o ecrã “Pillar to Pillar” do Mercedes-EQS
Próximo artigoPrio Renault Eco Team faz balanço de época vitoriosa

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of