O GreenH2Atlantic é um consórcio de 13 entidades que irá desenvolver um projeto de produção de hidrogénio verde de 100 MW em Sines (ver notícia aqui).

O ISQ – Instituto de Soldadura e Qualidade é uma das 13 entidades que integram este grupo de empresas, tendo sido selecionado na qualidade de I&D partner para integrar o projeto de produção de hidrogénio verde de 100 MW em Sines.

O presidente do ISQ, Pedro Matias, considera que “a criação de um cluster de hidrogénio verde em Sines” dará um contributo relevante “para os objetivos de sustentabilidade de Portugal e da região de Sines em particular”, com o ISQ a assumir um papel de destaque, “dando o seu contributo para o cumprimento do roteiro de transição energética que os países mais avançados estão a fazer, neste que é um projeto estratégico para Portugal”,

O projeto conta com um financiamento de 30 milhões de euros para a fase de construção, em 2023, prevendo-se o início da operação em 2025.

A inovação do projeto passa pelo desenvolvimento e implementação de um eletrolisador de 100 MW, composto por módulos escaláveis de 8 MW com elevada capacidade para atingir a máxima eficiência, dimensão, vida útil e flexibilidade.

Outra vertente do projeto está no seu sistema de interface composto por tecnologias de gestão avançadas, as quais permitirão a ligação direta do eletrolisador a energia renovável híbrida local (solar e eólica).

Inovação e normas

“O ISQ irá contribuir em áreas de inovação como por exemplo os requisitos e design review na fase de desenvolvimento do eletrolisador; o estudo das normas e metodologias de certificação relevantes para sistemas de eletrolisação; o estudo das formas de valorização do oxigénio e calor (resultantes do processo de eletrolisação); assim como a capacitação dos Recursos Humanos em Portugal para operarem no novo processo de produção do H2 verde, em Sines”, complementa o presidente do ISQ.

O hidrogénio verde é apontado como um dos pilares do crescimento económico, sendo um vetor energético decisivo no processo de descarbonização dos principais setores da economia.

O GreenH2Atlantic vem materializar a transição de uma antiga central de produção de energia a partir do carvão para uma inovadora unidade de produção de hidrogénio renovável, em linha com a estratégia e objetivos europeus rumo à neutralidade carbónica.

Artigo anteriorPortugal vai testar viabilidade de comboio a hidrogénio
Próximo artigoEficiente e silenciosa: assim se apresenta a nova bomba de calor ar-água LG

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of