A Schneider Electric anunciou a “Infraestrutura do Futuro”, um conjunto integrado de soluções pensado para criar uma infraestrutura “verde” e inteligente.

A Infraestrutura do Futuro é uma “abordagem holística para impulsionar as empresas e economias de amanhã e ao mesmo tempo enfrentar os desafios da urbanização global em curso e as causas e impactos das alterações climáticas”, destaca a empresa. As soluções integradas incluem software, dados, serviços, soluções para mobilidade elétrica, tecnologias “verdes” e programas para acelerar a transição energética.

A necessidade de infraestrutura “verde”

“A infraestrutura resiliente é um facilitador fundamental da produtividade e do desenvolvimento económico. Contudo, devido às alterações climáticas e ao rápido crescimento da urbanização, é ainda mais crucial que os governos, municípios, proprietários de infraestrutura pública, redes de energia e fornecedores de transportes façam investimentos bem planeados em soluções mais inteligentes e mais ecológicas para suportar o crescimento económico”, afirma Frédéric Godemel, Executive Vice President, Power Systems and Services da Schneider Electric.

“Num momento de alterações climáticas, intensificação dos desastres naturais e rápida urbanização, os sistemas de infraestruturas estão sob uma imensa pressão para proporcionar serviços resilientes e fiáveis. Os ambientes urbanos também dependem fortemente da capacidade da infraestrutura de lidar com a eletrificação dos transportes públicos, pelo que precisamos de uma revolução verde na infraestrutura para manter a energia a fluir, os transportes em movimento, e proteger as empresas e a sociedade contra as alterações climáticas.”

Por que faz sentido termos infraestruturas inteligentes?

O número crescente de eventos climáticos extremos em todo o mundo é uma das principais causas das disrupções na infraestrutura de energia, água e transportes – o que custa, anualmente, 300 mil milhões de dólares às empresas.

Para além disso, estimando-se que mais de seis mil milhões de pessoas viverão em áreas urbanas até 2050, a procura por infraestrutura resiliente e baixa em carbono está a aumentar. As cidades vão precisar de enfrentar a adoção em massa de veículos elétricos (EV), transporte público eletrificado e edifícios inteligentes abastecidos com fontes fiáveis e renováveis de energia e novas tecnologias de microgrid.

“O aumento da população e o crescimento das exigências quanto à energia também vão levar a procuras flutuantes e ao desenvolvimento de ‘prosumers’ de energia, com fontes de energia autogeradas. Isto colocará as infraestruturas energéticas envelhecidas sob uma pressão ainda maior, com necessidade de serem mais eficientes e resilientes para se anteciparem à transição energética”, diz a Schneider Electric.

Infraestrutura do Futuro orientada por dados

Concebida de forma exclusiva para a infraestrutura urbana, a Infraestrutura do Futuro compreende um conjunto de soluções de software abertas e interoperáveis.

Entre essas soluções destacam-se:

EcoStruxure for E-mobility: uma solução conectada de ponta a ponta que vai além dos carregadores de EV e é fácil de instalar, mantém a fiabilidade de energia dos edifícios e oferece uma experiência confortável aos condutores de EV.
ETAP Train Power Simulation – eTraX: ferramentas de software flexíveis para conceber, analisar e gerir a infraestrutura ferroviária CA e CC pela ETAP (parte do portefólio de software agnóstico da Schneider Electric).
AVEVA Unified Operations Centre: uma solução de hub central para operadores de infraestrutura que transforma a sala de controlo num espaço de trabalho colaborativo.
Serviços de Energia e Sustentabilidade EcoStruxure: experiência em energia e sustentabilidade para ajudar as empresas a transformar a energia num gasto controlável, aumentar a eficiência e atingir as metas de sustentabilidade.
EcoStruxure Microgrid Advisor: uma plataforma de software de gestão de energia do lado da procura e baseada na Cloud, que permite aos utilizadores recolher, prever e otimizar automaticamente a operação de recursos de energia distribuídos, utilizando algoritmos preditivos.

A Schneider Electric destaca ainda a possibilidade de se adicionar a estes equipamentos a tecnologia de MT de ar puro sem SF6 que “oferece uma forma de tornar os projetos de infraestrutura mais sustentáveis” (substitui o gás de efeito de estufa SF6 por ar puro).

“Todos estes recursos fazem parte do portefólio integrado de ponta a ponta de software e serviços da Schneider Electric, que ajuda governos, municípios e empresas envolvidas em projetos de infraestrutura pública e privada a tornar-se mais inteligentes, “verdes” e eficientes, para dar resposta à procura futura e ajudar a abordar e combater os desafios colocados pelas alterações climáticas”, salienta a empresa.

Artigo anteriorProjeto-piloto de recolha de rolhas de cortiça para reciclagem
Próximo artigoTesla pode atingir 1,5 milhões de entregas em 2022

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of