Artur Mateus
Artur Mateus
Vice-diretor do CDRSP - Centro para o Desenvolvimento Rápido e Sustentado de Produto, do Politécnico de Leiria

Projetos como o CircularSeas são verdadeiros exemplos do que deve ser feito para reduzirmos o impacto ambiental do lixo no oceano e no planeta. A ligação entre as indústrias oceânicas e marítimas e a poluição plástica é uma realidade que precisa de uma solução, sendo a Economia Verde ou Circular considerada a chave para reverter esta poluição.

CircularSeas, pela promoção da economia verde atlântica

0
0

Juntos pelo Oceano podia ser o lema do projeto CircularSeas, tal é o grau de envolvimento dos nossos investigadores nesta iniciativa que eleva o tema da sustentabilidade ao patamar necessário e urgente exigido pela sociedade em que vivemos. Enquanto a maioria dos Portugueses aproveitou os meses mais quentes de verão para o gozo das suas merecidas férias, formámos uma equipa no CDRSP e rumámos a Tavira com o intuito de recolher lixo plástico decorrente das atividades suportadas pelo mar. 

Neste sentido, contactámos a Lais de Guia – Associação Cultural do Património Marítimo, para colaborar connosco na recolha, tendo ficado a coordenação da operação a cargo de Fátima Cardoso, vice-presidente da mesma. Os pontos de recolha foram: o antigo estaleiro da areia (em Quatro Águas – Tavira), a rampa das embarcações em Santa Luzia e o abrigo dos pescadores em Tavira, onde obtivemos, também, o apoio da junta de freguesia de Santa Luzia, da Praia da Terra Estreita e da Associação Âncora.

Conseguimos reunir mais de 1000 kg deste material, que depois, organizámos, separámos, triturámos e preparámos para dar origem a novos produtos sustentáveis por fabrico aditivo de grande dimensão, no laboratório Bigprint. Isto já na nossa sede, na cidade da Marinha Grande, merecendo todos os investigadores envolvidos o nosso reconhecimento pelo empenho, esforço e dedicação a este projeto, que muito nos orgulha. 

Projetos como o CircularSeas são verdadeiros exemplos do que deve ser feito para reduzirmos o impacto ambiental do lixo no oceano e no planeta. A ligação entre as indústrias oceânicas e marítimas e a poluição plástica é uma realidade que precisa de uma solução, sendo a Economia Verde ou Circular considerada a chave para reverter esta poluição.

Precisamos, mais do que nunca, de dinamizar medidas e projetos que, ao mesmo tempo que promovem a Economia Verde no oceano, sensibilizam a sociedade para esta problemática. Temos de incentivar a comunidade a combater a poluição, através da adoção de práticas que minimizem os impactos da mesma no meio ambiente, e encorajar todas as faixas etárias, dos mais novos aos mais velhos, a envolverem-se em iniciativas e projetos que recolham lixo e plásticos do oceano, promovendo a sua despoluição.

Foram semanas intensas de trabalho, mas ter a noção de que contribuímos para uma causa maior e que, com o conhecimento e tecnologia que dispomos no nosso centro de investigação, tornámos lixo em produtos verdes, ecológicos e inovadores, deixa-nos de sorriso no rosto. Missão cumprida, pelo menos para 2021. Porque o projeto CircularSeas, esse é para continuar!

Foto de destaque de Ishan @seefromthesky 

Artigo anteriorDachser Portugal recebe eCanter 100% elétrica portuguesa
Próximo artigoVolvo Cars testa carregamento elétrico wireless

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of