Margarida Almeida e Sousa
Margarida Almeida e Sousa
Senior Account Executive na Minsait

A adaptação do retalho de mobilidade terá que passar pela adoção de soluções baseadas em Inteligência Artificial, bem como a introdução do IoT, algo que será mais relevante no caso dos postos de abastecimento de combustíveis fósseis. A transformação da indústria automóvel, cada vez mais afastada do petróleo, tende a privilegiar novas fontes de abastecimento (como a eletricidade), obrigando a uma análise de negócios alternativos, assim como a avaliação da capacidade de comercializar produtos de energia como combustíveis alternativos, baterias, serviços de car sharing.

Estações de Serviço Inteligentes: uma tendência global de conveniência personalizada

0
0

Quando falamos em conveniência, falamos também em vantagem, interesse, proveito e utilidade. Ora, como sabemos, a conveniência é um fator que está cada vez mais presente no quotidiano da Humanidade, pois a crescente digitalização permite-nos estar ligados ao mundo apenas com um click através de qualquer dispositivo móvel. A conveniência pode, portanto, ser encarada como uma tendência que faz já parte do ADN do ser humano. 

Do ponto de vista empresarial, trabalha-se todos os dias para oferecer uma maior conveniência, seja a clientes, fornecedores ou colaboradores, em qualquer setor de atividade. Sendo o cliente o centro de todas as transações, o conceito-chave que agora emerge é de “conveniência personalizada”.

Aplicando esta realidade à indústria da mobilidade, torna-se cada vez mais premente aplicar este conceito de conveniência ao retalho de mobilidade, isto é, aos postos de combustível distribuídos pelo país. As áreas de retalho dos postos de combustíveis são uma fonte subestimada de crescimento na próxima década: prevê-se que, até 2036, este mercado de conveniência fature 400 mil milhões de euros. E é certo que o conceito de lojas de conveniência e postos de abastecimento mudará radicalmente nos próximos 10 anos.

A modernização e o desempenho eficaz dos postos de combustíveis levarão, a curto prazo, ao que denominamos estações de serviço inteligentes, espaços que potenciem ofertas personalizáveis e a fidelização do cliente através da otimização dos serviços existentes e a disponibilização de novos serviços para responder às necessidades individuais. Os produtos de conveniência, a proximidade das lojas ao cliente, o aumento da digitalização e as ofertas personalizadas, são fatores que influenciarão em grande medida o crescimento deste tipo de lojas. 

Mas, como podemos aplicar esta nova realidade às estações de serviço? O passo em frente exige o desenvolvimento e a utilização de apps que, por um lado, detetem e potenciem ofertas personalizáveis (com o intuito de vender e, em última instância, promover a fidelização do cliente) e por outro, assegurem um serviço próximo e de qualidade por parte dos seus funcionários (através do desenvolvimento de capacidades humanas e digitais).  Hoje em dia, através da tecnologia já é possível recolher, armazenar e gerir informação em tempo real sobre o comportamento do utilizador dos postos de combustíveis, permitindo identificar de forma mais exata os momentos e mensagens mais relevantes para cada perfil. Este novo conceito de loja inteligente impacta na eficiência das vendas e operações, no aumento da produtividade e na melhoria da experiência do cliente. No fundo, trata-se de assumir que o desenvolvimento de marketing nas lojas torna-se tão mais importante quanto a venda de combustíveis propriamente dita.

A adaptação do retalho de mobilidade terá que passar pela adoção de soluções baseadas em Inteligência Artificial, bem como a introdução do IoT, algo que será mais relevante no caso dos postos de abastecimento de combustíveis fósseis. A transformação da indústria automóvel, cada vez mais afastada do petróleo, tende a privilegiar novas fontes de abastecimento (como a eletricidade), obrigando a uma análise de negócios alternativos, assim como a avaliação da capacidade de comercializar produtos de energia como combustíveis alternativos, baterias, serviços de car sharing.

Por outro lado, é importante que os postos de abastecimento adotem soluções integradas para melhorar a sua segurança: sensores, câmaras de videovigilância, soluções de IoT são preciosas ferramentas que ajudam nesta vertente. Por exemplo, estão a arrancar os primeiros projetos para detetar automaticamente perigos que decorram num posto de combustível, como localizadores de matrículas, reconhecimento facial e objetos abandonados nos postos, fatores que contribuirão para que o cliente se sinta mais seguro nestes locais. 

A disponibilização de soluções integradas, melhorando a eficiência das vendas e operações, aumentando a produtividade e a melhoria significativa da experiência do cliente vão certamente promover a uniqueness das estações de serviço inteligentes. A reinvenção destes espaços pode proporcionar novas oportunidades de negócio e a criação de novos empregos. É por esta razão que esta mudança deve ser encarada com otimismo, sem nunca descurar a devida capacidade de preparação, adaptação e agilidade.

Foto de destaque por Maxim Hopman

Artigo anteriorTecnologia portuguesa moderniza frota TST ao serviço da Carris Metropolitana
Próximo artigoBogotá é campeã no combate ao desperdício

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of