A Sensoneo desenvolveu uma solução que vai ajudar os municípios e as empresas de recolha de lixo a fazer uma gestão inteligente dos resíduos, ao mesmo tempo que vai permitir implementar o conceito de cidadão “poluidor pagador”, mas de uma forma justa.

Assim, os contentores do lixo passam a estar equipados com um chip que é desbloqueado com um cartão dado a cada casa. A informação recolhida por esse chip é comunicada para uma plataforma que pode ser consultada pelos serviços municipais.

Assim, é possível saber quantas vezes o contentor foi aberto por aquele acesso, que corresponde a uma casa, sendo possível calcular um valor justo para o cidadão pagar (PAYT) mediante o lixo produzido e não com uma taxa fixa ou um valor mais elevado por se encontrar numa zona mais turística e, logo, com mais produção de lixo.  

“A procura por soluções de confiança para gerir o acesso aos contentores do lixo é cada vez mais frequente”, afirma Martin Basila, CEO da Sensoneo.

A cidade de Dubnica, na Eslováquia, já está a aplicar este sistema. “Queremos garantir que os nossos cidadãos pagam apenas pelos resíduos que geram e por isso iniciámos esta solução da Sensoneo”, disse um porta-voz do departamento do meio ambiente.  

A solução Sensoneo usa rede IoT de banda estreita e/ou Cat-M para transferência de dados. De acordo com a Sensoneo, a solução pode ser facilmente integrada via API nos sistemas dos clientes atuais. A solução do sistema é alimentada por baterias que garantem até 100.000 aberturas de tampa.

Artigo anteriorGalp e a Northvolt vão construir fábrica de lítio em Portugal
Próximo artigoSmart #1, o SUV elétrico de segmento B de 272 cv

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of