A Bolt, plataforma de micromobilidade europeia, introduz hoje em Coimbra o seu novo modelo de bicicletas elétricas.

Depois da implementação de uma frota deste modelo em Lisboa, a Bolt continua o seu plano de expansão no mercado nacional.

Esta novidade vem dar à cidade do centro de Portugal uma nova opção de transporte partilhado.

Preço especial de lançamento

Para incentivar à adesão dos coimbrenses, a Bolt está com um preço especial de lançamento de €0,05 por minuto.

“A iniciativa, que torna esta alternativa sustentável acessível a todos, tem em vista a aceleração da transição dos hábitos de mobilidade para as soluções amigas do ambiente”, refere a empresa.

Santiago Páramo, responsável de Micromobilidade da Bolt em Portugal, explica que “trabalhamos desde sempre para tornar as deslocações nas cidades fáceis, ágeis e fiáveis – uma das razões pelas quais temos vindo a introduzir os nossos produtos de micromobilidade num número crescente de localizações. A outra, em linha com os nossos valores de sustentabilidade, prende-se com o facto de estas serem uma solução perfeita para reduzir o volume de trânsito – e consequentemente as emissões de CO2 – nos centros urbanos”.

Para Santiago Páramo, “Coimbra é, desde sempre, uma cidade estratégica para nós. Por contar já com o nosso serviço de trotinetes elétricas partilhadas, fez todo o sentido incluí-la no lançamento das nossas novas bicicletas elétricas, criando assim um serviço da Bolt mais completo e eficiente para todos os coimbrenses”.

O que incluem esteas novas bicicletas?

Dando prioridade à segurança, as novas bicicletas da operadora incluirão também os testes de reação para impedir o desbloqueio do utilizador caso esteja sob o efeito de álcool, que já estavam implementados nas trotinetes.

Para evitar ainda que estas se tornem obstáculos para os peões, a Bolt disponibiliza ainda no mapa todos os locais públicos na cidade de Coimbra onde se poderá deixar a bicicleta corretamente estacionada.

Em termos de design, o utilizador pode contar com um carregador para o telefone no volante e, no painel de controlo da bicicleta, para além de um GPS, poderá ver a sua velocidade e se esta vai de acordo à zona em que se encontra.

O novo modelo da operadora é produzido com alumínio 100% reciclável e tem uma bateria substituível 33% mais poderosa, reduzindo assim a pegada de carbono em termos operacionais.

Artigo anteriorAfinal, quais são os sintomas das zonas costeiras?
Próximo artigoPorto está entre as 100 cidades que integram projeto Cities Mission

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of