A Mercedes-Benz fez a revelação internacional recentemente do EQS SUV, mas ao mercado português chegou agora outra novidade 100% elétrica do fabricante alemão, o EQE.

A Sociedade Comercial C. Santos refere em comunicado que este novo modelo BEV da família Mercedes-EQ já chegou às suas instalações com os preços a começarem nos 73.800 euros.

Em termos de dimensões exteriores, o EQE é comparável ao CLS: 4946 mm de comprimento, 1961 mm de largura e 1512 mm de altura.

As dimensões do interior do EQE excedem as do atual Classe E, designadamente no espaço para ombros no compartimento dianteiro (mais 27 mm) ou no comprimento do interior do habitáculo (mais 80 mm).

Com a direção do eixo traseiro (opcional), o EQE pode apresentar um ângulo da direção no eixo traseiro de até dez graus. O diâmetro de viragem foi reduzido de 12,5 metros para 10,7 metros graças à direção do eixo traseiro.

A suspensão do novo EQE, com suspensão dianteira de quatro braços, revela muitas semelhanças com a do novo Classe S. Como opção, o EQE está disponível com suspensão pneumática AIRMATIC com sistema de amortecimento adaptativo ADS+.

As primeiras versões a entrar no mercado

As primeiras variantes do mais recente modelo da Mercedes-EQ são a EQE 350+ e a AMG EQE 43 4MATIC.

O EQE 350+, com 292 cv de potência e autonomia elétrica até 654 km, pode ser encomendado a partir de 73.800 euros.

Já os preços do AMG EQE 43 4MATIC, com 476 cv de potência e autonomia elétrica até 533 km, iniciam-se nos 105.650 euros.

No futuro seguir-se-ão outras versões. Todos os modelos EQE estão equipados com uma cadeia cinemática elétrica (eATS) no eixo traseiro. As versões lançadas posteriormente com 4MATIC também serão equipadas com uma cadeia cinemática eATS no eixo dianteiro.

Autonomia até 654 km

No EQE, a bateria de iões de lítio é constituída por dez módulos e tem uma capacidade de armazenamento de energia útil de 90 kWh. O carregamento (10%-80%) pode ser efetuado em 32 minutos (em caso de utilização de uma estação de carregamento rápido CC com tensão de alimentação de 400 V e um mínimo de 500 A de energia).

MBUX Hyperscreen também presente

Destaque, em termos tecnológicos, para o MBUX Hyperscreen (disponível como opcional em algumas motorizações). Semelhante ao lançado no EQS, tem todo o painel de instrumentos como parte integrante de um único ecrã largo que se estende praticamente por toda a largura do tablier.

Com o software com capacidade de aprendizagem, o MBUX adapta-se ao seu utilizador e fornece sugestões personalizadas relativamente a várias funções de informação e de entretenimento, conforto e do veículo. As principais aplicações são sempre fornecidas no nível superior no campo de visão, em função da situação e do contexto.

Artigo anteriorComo podemos gerir melhor a água?
Próximo artigoRavasqueira estuda a biodiversidade da exploração agrícola

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of