A Ravasqueira está a desenvolver um estudo de biodiversidade nos seus 3.000 hectares que visam inventariar a fauna e flora, as estruturas ambientais e os ecossistemas vegetais e animais que animam toda a área que deixam a sua marca nas produções da quinta. Esse trabalho, bem como outras iniciativas no âmbito específico da vinha e da adega prosseguem uma filosofia de sustentabilidade e de prevenção face às alterações climáticas.

Pedro Pereira Gonçalves, CEO da Ravasqueira, reforça este compromisso na estratégia global da Ravasqueira. “Entendemos a Ravasqueira como um ecossistema rico e complexo e mantemos o foco em potenciar estes hectares de forma sustentável. Procuramos preservar e enriquecer este ativo precioso, onde se inserem as nossas vinhas, que nos permite produzir grandes vinhos ano após ano. A Ravasqueira está a lançar as fundações de um compromisso real que prevê práticas cada vez mais defensoras do meio ambiente a diferentes níveis e transversais a todo o negócio”.

São ao todo 3.000 hectares, divididos em áreas de montado de sobro, montado misto de sobro e azinho, regadio, pinhal para produção de pinha, área agrícola de sequeiro com culturas arvenses e olival, e claro, vinha. Todas as estruturas convivem harmoniosamente e de forma conjugada. Os estudos em marcha pretendem aferir o capital natural da Ravasqueira e apontar novos caminhos para uma atividade cada vez mais verde, sustentável e de boas
práticas.

Numa estratégia para contar um pouco desta história e sensibilizar os consumidores para a importância do meio ambiente, a Ravasqueira lançou, em 2021, os vinhos Encantado Tinto e Branco, que pretendem transmitir ao consumidor a paixão que a marca tem pela natureza e pela ligação à vinha, ao montado, à fauna e flora presentes na Ravasqueira.

O Encantado Tinto junta o Syrah, a Touriga Franca e o Alicante Bouschet enquanto o Encantado Branco é um lote de Viognier, Alvarinho e Arinto. Para David Baverstock, Chief Winemaker, “estes dois vinhos pretendem mostrar a ligação que as nossas vinhas têm com todo o ecossistema que as rodeia, numa simbiose que permite dar uma singularidade muito característica aos vinhos”.

Artigo anteriorBerlina elétrica EQE na Sociedade Comercial C. Santos
Próximo artigoLindo serviço! E se a natureza entra em greve?

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of