A Voltalia, um dos promotores de projetos de energias renováveis a atuar em Portugal, é a empresa responsável pela construção da Central Fotovoltaica Morgado de Agre, Cotovio, no Algarve, que tem como objetivo evitar a emissão de mais de 34 mil toneladas de CO2. A Central arrancou a produção no final de 2021.

A Central Fotovoltaica Morgado de Agre contou com desafios na construção que a Voltalia abraçou prontamente. Entre os objetivos estava a minimização dos impactos na paisagem, um desafio por se tratar de uma zona montanhosa ao invés do tradicional parque solar plano, tendo a área inclinações naturais elevadas que rondavam os 30º. Evitar o corte de sobreiros e espécies protegidas também era um dos desafios lançados sendo que, por outro lado, seria necessário criar soluções para a estrutura e para as valas e ter em conta ainda o facto de a localização não ter estradas de acesso. Adversidades que a Voltalia superou através de um conjunto de soluções inovadoras, aplicando um design híbrido entre tecnologia e natureza numa construção de 10 meses, onde estiveram envolvidas mais de 600 pessoas.

A Central Fotovoltaica do Cotovio já está a funcionar, com uma potência de 48,9 MW, o que se traduz em cerca de 105.000 módulos solares fotovoltaicos numa área de 100 hectares. A eletricidade produzida na Central responde às necessidades de um total de 7.631 habitações.

Alinhada aos objetivos mundiais em obter uma economia verde e neutra em emissões de CO2, a Voltalia atua no seu dia-a-dia no caminho da transição energética e ecológica, “perante uma conjuntura adversa em que os custos nos projetos solares atingem valores elevados devido ao aumento dos preços dos materiais, a Voltalia responde, uma vez mais, com um projeto inovador, neste caso a Central do Cotovio que incluía múltiplos desafios em toda a construção. Já não há dúvidas que as energias renováveis são o futuro e na Voltalia trazemos esse futuro para um presente, como tal, iremos continuar o nosso rumo à descarbonização e agora, cada vez mais, a contribuir ativamente em Portugal. Prevemos este ano arrancar com projetos próprios com a missão de tornar também o nosso país reconhecido em todo o mundo como um polo de referência em energias renováveis”, afirmaJoão Amaral, country manager da Voltalia em Portugal.

A primeira pedra da Central Fotovoltaica Morgado de Agre foi lançada a 14 de setembro em 2020, onde a EKZ, um dos maiores fornecedores de energia na Suíça, e a Smartenergy, empresa suíça da área das energias renováveis, revelaram o investimento de 35 milhões de euros neste projeto.

Artigo anteriorFatura eletrónica: quantas árvores se conseguem poupar, afinal?
Próximo artigoProjeto quer aproveitar brinquedos velhos para dar vida a um brinquedo novo

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of