Diferentes players da indústria, entre os quais os construtores Ford e a Volvo, em conjunto com 26 outras companhias, aderiram a um apelo à União Europeia (UE), para que todos os automóveis de passageiros e veículos comerciais novos vendidos na Europa a partir de 2035 tenham emissões zero e para que se estabeleçam metas obrigatórias em termos de infraestruturas de carregamento.

O apelo da indústria reforça o facto de que é imperativa a remoção das estradas de veículos a motor movidos por combustíveis fósseis, para que a Europa consiga atingir o seu objetivo de emissões líquidas zero até 2050, ajudando, assim, a evitar os piores impactos das alterações climáticas nas pessoas e no planeta.

Empresas subscritoras desta petição

A petição inclui a implementação de legislação que estabeleça normas e um calendário claro a ser seguido pela indústria e pelos fornecedores, a fim de assegurar a transição para veículos elétricos.

“Na Ford, na Europa, acreditamos que a liberdade de movimentos caminha lado a lado com o cuidado para com o nosso planeta e de uns com os outros”, afirmou Stuart Rowley, Presidente da Ford Europa, em comunicado.

“A janela para evitarmos os piores impactos do aquecimento global está a fechar-se rapidamente. Neste momento crítico, agora é a hora de a UE reafirmar a sua liderança na ação climática”, diz Jim Rowan, CEO da Volvo Cars

“É por isso que estamos a apontar para que todos os veículos Ford tenham emissões zero até 2035. Para o conseguir, os decisores políticos da UE devem, também eles, estabelecer metas nacionais obrigatórias para uma infraestrutura de carregamento elétrico simples e linear que vá ao encontro da crescente procura por veículos elétricos”, indica Rowley.

Jim Rowan, CEO da Volvo Cars (sucedeu em janeiro ao sueco Hakan Samuelsson), refere que o construtor sueco “planeia tornar-se uma empresa de carros totalmente elétricos até 2030 e apoia o fim das vendas de veículos movidos a combustíveis fósseis na Europa até 2035. Isso não estaria apenas alinhado com os objetivos do Acordo de Paris, que exige 100% de vendas de veículos de emissão zero na Europa até 2035, mas é a coisa certa a fazer. A janela para evitarmos os piores impactos do aquecimento global está a fechar-se rapidamente. Neste momento crítico, agora é a hora de a UE reafirmar a sua liderança na ação climática”.

Os decisores da UE encontram-se, neste momento, a decidir as novas regras para veículos limpos, na sequência de uma proposta da Comissão Europeia – suportada pelas companhias subscritoras do apelo – para que, a partir de 2035, apenas possam ser comercializados automóveis de passageiros e veículos comerciais novos com emissões zero.

O Parlamento Europeu e os governos da UE irão definir as suas posições em junho, prevendo-se que a lei final possa ser aprovada no outono.

Artigo anteriorBuondi Ama Praia, uma ação de limpeza das praias
Próximo artigoGalp evolui cartão frota para se adaptar ao carregamento elétrico

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of