O Parque da Belavista, em Lisboa, que volta a acolher por estes dias o Rock in Rio Lisboa conta com um robot inteligente para apoio das ações de segurança ao recinto.

O festival de música, que depois do fim-de-semana passado volta a convocar os amantes da música nos dias 25 e 26 de junho, teve o seu plano de segurança traçado pela Prosegur.

Pela primeira vez, o Rock in Rio Lisboa incorpora um cão robot integrado na operação de segurança, com o objetivo de ajudar a reforçar a segurança das cerca de 100.000 pessoas (visitantes e staff) que estarão diariamente naquele que continua a ser considerado o maior festival de rock do mundo.

A operação de segurança do festival conta com uma equipa de mais de 400 pessoas, o maior número de todas as edições, que será responsável pelo controlo de acesso ao local, proteção dos parques de estacionamento, acesso aos bastidores e aos palcos, bem como pela segurança de todo o local e dos stands.

O cão robot inteligente foi batizado pela empresa de segurança com o nome de Yellow.

Para que o Yellow, o nome deste cão robot inteligente, se integre naturalmente nas tarefas de vigilância, a Prosegur dotou-o com Inteligência Artificial através da sua plataforma tecnológica GenzAI, o que lhe permite comunicar qualquer situação de risco ao Centro de Controlo Prosegur (SOC) através de tecnologia 5G.

O Yellow incorpora importantes capacidades em áreas como a análise de vídeo e, graças à Inteligência Artificial, pode detetar elementos suspeitos, reconhecê-los e gerar um alerta para o SOC.

O Yellow pode incorporar uma grande variedade de sensores que permitem ainda a recolha de dados do seu ambiente, desde a temperatura (importante na deteção de incêndios) até gases, por exemplo.

No caso do Rock in Rio Lisboa, o Yellow pode ser programado para fazer rondas pelas instalações, tanto de forma autónoma (em rondas noturnas, por exemplo) como através de rondas controladas pela equipa da Prosegur (em rondas onde há público). Caso seja detetado um incidente de segurança, é enviado um alerta através do SOC para a equipa de vigilantes.

Toda a operação de segurança está centralizada num centro de operações moderno e avançado (SOC), um espaço exclusivo para operar no Rock in Rio, equipado com a mais recente tecnologia e que será a base para toda a operação de segurança do festival.

Gonçalo Morgado, diretor geral da Prosegur Security em Portugal, afirma que “a segurança de um evento como o Rock in Rio exige estar sempre um passo à frente na proteção de pessoas, bens e instalações. Para o efeito, incorporamos as tecnologias mais avançadas nos nossos serviços e integramo-las nas nossas atividades graças ao nosso profundo conhecimento do sector da segurança. Desta forma, somos capazes de detetar e até mesmo antecipar possíveis riscos e agir eficazmente sobre possíveis incidentes. Tal só é possível pela implementação do nosso modelo de segurança híbrida que integra pessoas – como uma prioridade – tecnologia e dados, gerindo de uma forma inteligente e eficaz todo o dispositivo alocado”.

Artigo anteriorHomeCom Easy: a app da Bosch para casas inteligentes e eficientes
Próximo artigoCTT passa a ter centro de distribuição 100% elétrico em Porto Santo

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of