No Fórum da Economia Azul Sustentável e Investimento em Cascais, Portugal, um evento especial da Conferência dos Oceanos da ONU, 150 empresas foram signatárias de um documento que pretende sinalizar o seu compromisso para com um oceano saudável. Os Princípios para um Oceano Sustentável do Global Compact da ONU abrangem 30 indústrias, 35 países e seis continentes, com uma capitalização de mercado conjunta de 1 trilião de euros.

Entre essas empresas, contam-se várias portuguesas, caso do Grupo Ageas Portugal, Sonae, EDP Renováveis, EDP – Energias de Portugal, CEiiA, Águas de Portugal ou Abreu Advogados.

Além dos Dez Princípios do Global Compact da Organização das Nações Unidas, os Princípios para um Oceano Sustentável estabelecem um quadro para práticas empresariais responsáveis em todos os sectores e zonas geográficas do oceano.

As empresas que os subscrevem comprometem-se a avaliar o seu impacto no oceano e a integrar a sustentabilidade oceânica na sua estratégia global.

“O presente compromisso de 150 empresas da economia azul mostra a vontade do sector privado em apoiar a SDG 14 (Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14). Os oceanos saudáveis e produtivos dependem de todos os intervenientes para fazer a sua parte. Sinto-me encorajada por estas empresas e pelo seu empenho em integrar a saúde dos oceanos nas suas estratégias empresariais”, diz Sanda Ojiambo, Secretária-Geral Adjunta e CEO do Global Compact das Nações Unidas.

“Tendo a resiliência climática como uma das nossas ambições até 2030, foi sem hesitar que acedemos ao convite para nos juntarmos ao conjunto de empresas que assinaram este compromisso. A par das florestas, a proteção dos oceanos é absolutamente fundamental para endereçar os impactos das alterações climáticas e valorizar a biodiversidade. Pela posição geográfica que Portugal ocupa, este deve ser um tema crítico para a sustentabilidade do país pelo seu valor ecológico e potencial socioeconómico”, afirma Flávia Nobre, Responsável de Sustentabilidade do Grupo Ageas Portugal, em comunicado.

Financiamento reduzido ainda

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14 (Vida debaixo de água) tem o nível mais baixo de investimento financeiro de qualquer um dos 17 ODS. Verifica-se a necessidade de aumentar o financiamento público, privado e misto para promover uma economia azul sustentável.

O Global Compact da ONU anunciou que se vai juntar a uma coligação de stakeholders globais para desenvolver uma orientação universal para as Obrigações Azuis – um compromisso para fornecer ao mercado global consistência e transparência no financiamento da economia azul sustentável. A Global Guidance for Bonds Financing the Blue Economy visa fornecer aos participantes no mercado, critérios, práticas e exemplos claros para emissões de empréstimos obrigacionistas azuis.

Para além do Grupo Ageas Portugal, encontram-se como signatários dos Princípios para um Oceano Sustentável do Global Compact das Nações Unidas algumas das maiores empresas da economia azul, como a Mediterranean Shipping Company, Ørsted, SAP SE, e Thai Union.  A lista completa dos signatários pode ser encontrada aqui.

Artigo anteriorOs novos desafios da reciclagem em Portugal
Próximo artigoEMEL quer escutar utilizadores de terminais rodoviários

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of