Mafra recolheu 2,5 milhões de embalagens de bebidas

0
Mafra recolheu 2,5 milhões de embalagens de bebidas

O projeto ‘MAFRA Reciclar a Valer +’, liderado pela Câmara Municipal de Mafra, em parceria com diversas entidades do setor, possibilitou a recolha de mais de 2,5 milhões de embalagens usadas de bebidas ao longo de 14 meses.

O objetivo da iniciativa, que decorreu entre abril de 2021 e junho de 2022, foi incentivar a deposição seletiva deste tipo de embalagens e contribuir para um maior envolvimento dos cidadãos no processo da reciclagem.

A maior parte das embalagens recolhidas corresponde a plástico PET (82%) e o restante é alumínio (18%). Mais de 71 toneladas de embalagens foram enviadas para reciclagem.

A adesão dos cidadãos ao projeto registou um crescimento gradual. De acordo com a autarquia, “entre janeiro e março, a título de exemplo, verificou-se uma subida de 46% na recolha diária de embalagens”.

O projeto contemplou a atribuição de vales de desconto pela entrega de embalagens de alumínio e plástico PET até três litros. Os valores variam de acordo com a volumetria (dois cêntimos para as embalagens inferiores a 0,50 litros e cinco cêntimos para as superiores a 0,50 litros e até três litros). No total, foram distribuídos 90 mil euros em incentivos.

No âmbito do projeto foram disponibilizadas 12 máquinas automáticas, que funcionaram como pontos de recolha do consórcio ‘MAFRA Reciclar a Valer +’, localizadas junto a seis escolas do município e distribuídas em seis lojas Lidl, Minipreço e Pingo Doce.

Ao depositarem embalagens usadas de bebida nesses locais, os consumidores foram sendo recompensados com vales de desconto nessas lojas. Além da Câmara Municipal de Mafra, o projeto contou com a participação do Electrão e da Novo Verde, entidades gestoras de resíduos de embalagens que implementaram os equipamentos de recolha no concelho; da Tratolixo, para onde foram encaminhados os resíduos recolhidos nas várias máquinas disponibilizadas; e ainda do Instituto Superior Técnico e da 3drivers que apoiaram a monitorização e avaliação do projeto.

A vereadora da Câmara Municipal de Mafra, Lúcia Bonifácio, lembra que “a defesa do ambiente é uma responsabilidade de todos. Continue a participar, entregando as suas embalagens, uma vez que este projeto tem continuidade. As 12 máquinas irão continuar ao serviço da população. Recicle por si, pelo ambiente e por uma economia mais circular!”

O CEO do Electrão, Pedro Nazareth, considera que os resultados alcançados comprovam o sucesso deste modelo que permite, por um lado, o incentivo à reciclagem e, por outro, assegurar maior qualidade dos materiais recolhidos. “Trata-se, sem dúvida alguma, de um projeto que poderia ser replicado noutros pontos do país e que está a permitir criar conhecimento que deveria ser capitalizado no âmbito do sistema de depósito nacional, que será operacionalizado nos próximos anos. Assim, o Electrão não poderia estar mais satisfeito por ser parte integrante deste processo”.

Ricardo Neto, presidente da Novo Verde, reforça que “a crescente adesão dos cidadãos a esta iniciativa demonstra e comprova a importância de projetos como o “MAFRA Reciclar a Valer +”.

Enquanto parceiro pretendemos dar continuidade ao compromisso ambiental e manter o nosso apoio junto dos cidadãos para o correto encaminhamento destes resíduos. Contamos com as sinergias de integração dos diversos sistemas em vigor e dos respetivos agentes da cadeia de valor do SIGRE existentes.

A Novo Verde assume diariamente um papel fundamental através da sua experiência no desenvolvimento de sistemas de incentivo e em parcerias que fundamentem o aumento da circularidade e qualidade dos materiais recolhidos. Para o presidente do Conselho de Administração da TRATOLIXO, João Teixeira, “este projeto veio demonstrar a importância do papel operacional dos Sistemas de Gestão de Resíduos Urbanos (SGRU) no sistema de incentivo de embalagens não reutilizáveis. É muito importante que os SGRU continuem a estar integrados no futuro sistema de depósito de modo a minimizar a pegada ecológica e, simultaneamente, permitir a rentabilização dos investimentos efetuados, dos equipamentos e dos recursos humanos existentes, com claros benefícios ambientais, técnicos e económicos para todo o Sistema”.

Do Instituto Superior Técnico, o professor Paulo Ferrão realçou que o trabalho desenvolvido para conhecer a perspetiva do consumidor e das outras partes envolvidas foi uma peça fundamental para a melhoria do funcionamento do sistema, pois afinal as melhorias ambientais que este sistema proporciona dependem essencialmente da adesão das pessoas e da mudança do seu comportamento no sentido de aumentar as quantidades de embalagens que são enviadas para reciclagem e, neste caso, a tecnologia está ao serviço dessa mudança de atitude.

Eduardo Santos, managing partner da 3drivers reforçou que “o caráter inovador deste projeto veio demonstrar a viabilidade de apostarmos em sistemas de recolha complementares aos tradicionais para alcançarmos a circularidade dos recursos, garantindo a sua recuperação e correto encaminhamento para reciclagem”. Os resultados obtidos, indica, “deixam todos os envolvidos muito orgulhosos”.

O projeto ‘MAFRA Reciclar a valer +’ foi apoiado pelo Programa Ambiente do EEA Grants Portugal, um Mecanismo Financeiro Plurianual entre o Espaço Económico Europeu e a Islândia, o Liechtenstein e a Noruega.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of