Projetos de arquitetura sustentáveis distinguidos com Archiprix Portugal

Duas estudantes de arquitetura da Universidade de Coimbra apresentaram projetos com uma componente sustentável para dois locais em Portugal. Estes trabalhos foram distinguidos com o prémio Archiprix Portugal.

0
156

As estudantes do Mestrado Integrado em Arquitetura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), Bárbara Silva e Cátia Baptista, foram distinguidas na 10.ª edição do “Prémio Nacional para o Ensino de Arquitectura, Urbanismo e Arquitectura Paisagista – Archiprix Portugal”.

O projeto de Bárbara Silva, intitulado “Sensores de Paisagem. Descodificar a paisagem, em São Pedro de Moel, através da leitura dos lugares”, foi distinguido com a “Menção Especial Paisagem”. O trabalho, orientado pelo docente João Paulo Cardielos, como o título indica, tem São Pedro de Moel como objeto de estudo.

arquitetura
Bárbara Silva e Cátia Baptista

A identidade da praia deve-se à intensidade do pinhal envolvente sobre as dunas que lhe suportam a imagem e também ao êxito de um plano que forçou a arquitetura a integrar a natureza, onde habitações emergem entre pinheiros. Hoje, a luta dos cidadãos empenhados no desenvolvimento do seu lugar urbano reflete o medo acrescido pelo desgaste do tempo.

arquitetura
Projeto de Cátia Baptista

O desafio do projeto amplifica-se com a exploração deste território sensível, polvilhado de espaços que iludem subtemas adormecidos, que inspira o acrescentar de valores à sua condição essencial. A intensificação da leitura da paisagem é denominador comum para um percurso pedonal estruturante, que tem como objetivo proporcionar experiências de imersão sensorial no território. Ao complementar as voltas dos cinco e dos sete, pequenas rotas estabelecidas na faixa de proteção litoral do Pinhal do Rei, o percurso proposto sinaliza pontos de categorias diversas, puramente fisiológicas ou de aventura e descoberta. A sequência de lugares inscritos na paisagem desafia os utilizadores para a oportunidade de experimentar distintas perceções sensoriais.

Já o trabalho de Cátia Baptista, com o título “Co-Habitar no mundo Pós-Carbono e Pós-Pandemia. Proposta para um quarteirão sustentável na antiga Refinaria do Cabo do Mundo”, recebeu a “Menção Honrosa do Prémio ARCHIPRIX 2022”. O projeto propõe um quarteirão sustentável na antiga Refinaria do Cabo do Mundo e foi orientado pelo docente Nuno Grande.

A proposta foca-se na reconversão urbana da Refinaria do Cabo do Mundo, em Leça da Palmeira, na perspetiva da sua anunciada desativação, sem destruir, no entanto, a memória industrial que marca aquele lugar: as chaminés, os pipelines e os depósitos. O objetivo deste trabalho foi refletir sobre os modos de vida em comum, num mundo pós-carbono e pós-pandemia COVID-19, criando habitats que proporcionem o isolamento e a privacidade familiar, em articulação com a partilha sustentada e qualificada dos recursos urbanos e naturais.

arquitetura
Projeto de Bárbara Silva

Instituído em Portugal em 2012, o prémio Archiprix Portugal distingue anualmente os melhores trabalhos de Mestrado em Arquitetura de todas as universidades portuguesas.

Artigo anteriorGalp reforça aposta renovável ao adquirir a totalidade da Titan solar
Próximo artigoComo é que a saúde dos ecossistemas aquáticos em contexto urbano implica na saúde humana?

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of