A fábrica de reciclagem da Brother na Eslováquia, – uma das principais unidades de remanufactura de toners na Europa –  vai celebrar o seu 15.º Aniversário. Além disso, também recebeu o estatuto de neutralidade de carbono, tornando-se a segunda
instalação de reciclagem da Brother a obter esta certificação.

A fábrica, foi construída para responder à crescente demanda de reciclagem de toners em toda a Europa, é a maior das quatro instalações de reciclagem que a Brother tem, onde remanufatura mais de 2,6 milhões de toners por ano, reutilizando o equivalente de resíduos necessários para encher três piscinas olímpicas por ano.

“Expandimos o nosso negócio para a Eslováquia em 2007, quando a remanufatura de toners a nível mundial estava a começar. Fomos uma das primeiras empresas na Europa que construiu uma fábrica de reciclagem e de remanufatura. Desde então, as nossas operações tiveram que crescer ano após ano para suportar o volume de cartuchos devolvidos pelos nossos clientes e parceiros. Até à data, já foram reciclados mais de 18 milhões de consumíveis na Eslováquia, o que demonstra o compromisso dos nossos clientes com o meio ambiente e que acreditam na nossa visão de sustentabilidade”, explica Dave Lawrence, diretor da Brother Industries na Eslováquia.

A fábrica eslovaca recolhe cartuchos de toners vazios, avalia-os, substitui as peças gastadas e fabrica cartuchos reutilizados que são submetidos a controlos rigorosos, para que tenham a mesma qualidade que os novos. Deste modo, é reutilizado 80% do material original e o restante é reciclado e utilizado para fabricar outros produtos da Brother.

Este aniversário chega também numa altura em que a fábrica recebe o reconhecimento de neutralidade de carbono. Juntamente com a fábrica de reciclagem do Reino Unido (que obteve este reconhecimento em 2021), a fábrica eslovaca leva a cabo um dos únicos processos de remanufatura com zero resíduos e neutralidade de carbono na Europa.

“Alcançar a neutralidade em emissões de carbono para uma operação tão grande é extremamente importante, é algo que todos nós estamos incrivelmente orgulhosos. Levamos muito a sério a nossa responsabilidade com o ambiente e já desenvolvemos
muitas iniciativas para reduzir o nosso impacto no meio ambiente. Tudo o que não podemos reutilizar diretamente é reciclado, contribuindo para o processo de circuito fechado em que nada vai parar ao aterro sanitário”, acrescenta Dave Lawrence.

“Além disso, grande parte da energia que necessitamos para atuar é gerada a partir de painéis solares e de uma bomba de calor terreste que instalámos. Esta fonte de energia natural reduziu as nossas emissões de CO2 em 48%. São inovações como estas que asseguram uma melhoria contínua e o desafio de levar a cabo o processo de remanufactura da forma mais sustentável possível”, conclui Lawrence.

Artigo anteriorAquecimento do oceano afeta cavalos-marinho, concluem cientistas portugueses
Próximo artigoAmbientalistas consideram “escandalosa” proposta do Governo

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of