A City of London Corporation, a DHL Supply Chain e a Ford Pro têm em curso um programa para testar entregas sustentáveis no histórico Mercado Billingsgate de Londres, de forma a explorar formas de reduzir o tráfego, melhorar a qualidade do ar e oferecer uma melhor experiência ao cliente.

Lançado em março e com duração até agosto, o programa envolve 40 comerciantes de Billingsgate que participam no teste, que tem o seu enfoque nas entregas do mercado a clientes comerciais na capital, incluindo alguns dos estabelecimentos mais prestigiados de Londres.

Muitos comerciantes dependem de furgões para fazer estas entregas, mas durante grande parte do dia estes veículos não estão a ser utilizados.

A City Corporation identificou a oportunidade de consolidar algumas dessas deslocações, o que permitiu uma melhor gestão e evitou a duplicação de deslocações e exigiu menos veículos.

Os comerciantes no histórico mercado de peixe poupam tempo e dinheiro ao agrupar entregas usando uma frota partilhada de veículos conectados Ford Pro, incluindo um Ford E-Transit 100% elétrico

Financiado pela City Corporation, que é proprietária e faz a gestão do Mercado de Billingsgate, o projeto-piloto está a ser executado utilizando veículos, software e assistência técnica da DHL Supply Chain, e Ford Pro Veículos, Software e Serviço.

Esta colaboração, com a duração de 18 semanas, revelou oportunidades significativas para beneficiar tanto as empresas como o ambiente.

Redução de 37% nas emissões de CO2 com as entregas

Estima-se que houve uma redução de 37% nas emissões de CO2, em comparação com a logística habitual, com menos 949 deslocações de veículos nas congestionadas ruas do centro de Londres, resultando, no total, em menos 23.961 quilómetros percorridos. Isto também originou uma redução de custos e uma melhoria da eficiência das empresas participantes.

Este projeto-piloto faz parte do objetivo da City Corporation de reduzir o impacto ambiental dos seus mercados grossistas através da inovação, incluindo a já planeada relocalização dos mercados de Billingsgate, Smithfield e New Spitalfields para a doca de Dagenham Dock.

Foi instalado um ponto de carregamento para veículos elétricos no parque de estacionamento do mercado.

Os case studies dos comerciantes de Billingsgate

Yusef Archi é diretor da Ish Seafood. A banca de venda tem funcionado em Billingsgate desde 2015 e abastece peixarias em Londres e nos arredores. A empresa costumava fazer as suas entregas utilizando duas carrinhas. “O serviço de entregas está agora cada vez melhor, pelo que já não utilizamos as nossas carrinhas. Anteriormente, sempre que tínhamos um novo cliente, precisávamos de uma nova carrinha, o que passava a ser mais uma dor de cabeça para nós. Agora, podemos apenas concentrar-nos em conseguir mais clientes.”

Mark Button é diretor-geral da Barney’s Billingsgate Ltd., um grossista de enguias e mariscos, que funciona há 60 anos em Billingsgate. Os principais clientes desta banca são restaurantes e lojas, peixarias e casas particulares em Londres e nos arredores. O projeto-piloto ajudou a atrair novos clientes: “Não costumo aceitar novos clientes que não estejam nas minhas rotas existentes. Agora, posso enviar as encomendas através do serviço de entregas e elas chegam no mesmo dia. É fica mais barato do que os clientes virem aqui vêm e mais barato do que ser eu a fazê-lo. É muito melhor para o ambiente que utilizemos menos carrinhas. Eu utilizava um serviço de entregas múltiplas.”

Jeff Steadman é diretor da Chamberlain & Thelwell Ltd. A empresa fornece hotéis e restaurantes em Londres e arredores desde 1981. Steadman possui a sua própria frota de carrinhas, por vezes entregando peixe duas ou três vezes por dia aos mesmos clientes. “Com os mercados a avançarem, Londres avança também. Muitas grandes cidades estarão mais verdes até 2030 e a eletricidade faz agora parte dessa evolução. Ter um serviço dedicado é algo muito vantajoso para o mercado. Os clientes ficarão ainda mais interessados quando formos totalmente ecológicos, com veículos elétricos. Todos precisam de reduzir a sua pegada de carbono.”

Chris Hayward, Responsável Político da City of London Corporation, destacou: “Os nossos mercados grossistas históricos estão ao serviço dos londrinos há centenas de anos. Mas, para enfrentarmos o desafio climático, não podemos manter os procedimentos logísticos tradicionais. “Este projeto-piloto provou que a utilização de diferentes modos de entrega não só reduz as emissões e o trânsito, como também pode oferecer um melhor serviço tanto aos nossos comerciantes no mercado como aos seus clientes.

“O nosso Programa de Co-localização dos Mercados – que se destina a co-localizar Billingsgate, Smithfield e New Spitalfields na doca de Dagenham – oferece muito mais oportunidades de inovação no transporte, com baixo teor de carbono e grande redução do número de deslocações por estrada de e para os mercados”

Tutu Akinkoye, responsável pela GoGreen na DHL Supply Chain UK & Ireland, declarou: “Estamos extremamente satisfeitos com os resultados deste programa de testes, que sustenta a nossa abordagem a esta temática, que consiste não só em utilizarmos um tipo de transporte ‘limpo’, através da utilização de combustíveis alternativos e propulsores sustentáveis, como também em consumir menos, reduzindo os consumos de energia e de combustível nas nossas operações. Estamos igualmente extremamente satisfeitos com o nosso envolvimento com os comerciantes e parceiros, e com os rumos futuros que este projeto estratégico oferece aos clientes dos mercados grossistas de Londres: uma vasta escolha de bens, uma ampla gama de opções de entrega, e uma forma mais sustentável da entrega dos produtos aos restaurantes, grossistas e consumidores na área de Londres e arredores”.

“O que mais nos entusiasma é que a solução é replicável noutras cidades que enfrentam desafios semelhantes, tanto no Reino Unido como a nível global”, diz Tutu Akinkoye, da DHL

Hans Schep, Diretor Geral da Ford Pro, Europa salienta que a “possibilidade de juntarmos as nossas competências às da Cidade de Londres e da DHL Supply Chain mostrou claramente que as soluções sustentáveis, geridas por ‘software’, da Ford Pro permitem resolver os problemas dos nossos clientes. Neste caso, possibilita ao histórico mercado abastecedor de peixe combinar as suas entregas com maior eficiência, contribuindo para reduzir os congestionamentos de trânsito”.

“A Ford Pro facilita às empresas o aumento da sua produtividade enquanto operam de forma mais sustentável, uma vez que apoiamos a sua transição para um futuro eletrificado”, afirma Schep.

Os sete veículos Ford Pro refrigerados, incluindo um Ford E-Transit 100% elétrico, três estão equipados com sensores que introduzem dados, em tempo real, no Ford Pro Telematics e no sistema conectado FORDLiive, apoiando os gestores na monitorização da eficiência, condições e estado dos veículos.

Estes dados dos veículos conectados ajudam a Ford Fleet Management a monitorizar e gerir a vida útil restante do óleo, os níveis de AdBlue e a pressão dos pneus para reduzir a probabilidade de paragens não programadas. Os gestores de frotas recebem também alertas sobre furos ou danos no para-brisas e podem programar a manutenção e as reparações necessárias durante as horas de expediente para minimizar o impacto nas entregas.

Artigo anteriorTransportes públicos gratuitos para +65 anos e estudantes em Lisboa
Próximo artigoAPREN vai premiar teses académicas na área das renováveis

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of