A GreenVolt – Energias Renováveis, S.A., chegou a acordo com a Iberdrola para a venda de um portefólio de ativos solares e eólicos na Polónia. O negócio, pendente das habituais aprovações regulatórias, será realizado por um valor de 155 milhões de euros.

O acordo celebrado através da Augusta Energy, uma joint-venture a 50% entre a KGAL, uma gestora de ativos alemã, e a V-Ridium Group, empresa detida a 100% pela GreenVolt, prevê a venda à elétrica espanhola de ativos renováveis com uma capacidade total de 98 MW.

Em causa estão dois parques eólicos com uma capacidade total de 50 MW e seis parques solares com 48 MW, estando ambos abrangidos por um contrato de aquisição de energia (PPA ou Power Purchase Agreement, na língua inglesa) com a T-Mobile Polska por um período de 15 anos, a partir de 2023, acordo este que tinha sido anunciado em abril.

Conforme acima referido, a transação com a Iberdrola avalia os ativos até agora detidos pela Augusta Energy na Polónia em 155 milhões de euros (Enterprise Value), o que se traduz num Enterprise Value por MW de 1,57 milhões de euros.

“Esta alienação, a primeira da GreenVolt desde o IPO, vem demonstrar a capacidade que temos em desenvolver, construir e gerar valor com os projetos em que investimos através da estratégia de rotação de ativos que definimos”, diz João Manso Neto. “A transação que hoje anunciamos, com um player de relevância à escala europeia, é reveladora do enorme apetite que há por ativos como estes, nomeadamente no mercado polaco”, acrescenta o CEO da GreenVolt.

A par da produção de energia a partir de biomassa, utilizando resíduos florestais, agroflorestais e urbanos, em Portugal e no Reino Unido, a GreenVolt é promotora de projetos eólicos e solares fotovoltaicos de grande dimensão (utility-scale), com atuação em vários mercados europeus e no mercado americano. A GreenVolt está também presente no segmento de geração energética renovável distribuída, estando atualmente presente nos mercados português e espanhol.

A GreenVolt conta com um pipeline de projetos de 6,6 GW — com 2,7 GW em Ready to Build ou em fase avançada de desenvolvimento até 2023, em projetos utility-scale.

Artigo anteriorEstudo certifica que etiquetas antifurto podem ser recicladas
Próximo artigoMedidas que podem ajudar Portugal a reduzir o uso da energia

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of