Reduzir o desperdício de lítio em 70% e transformar o que hoje é resíduo numa nova e valiosa matéria-prima para fabricar baterias. É este o objetivo de um novo projeto europeu que conta com a participação do INEGI, além de duas outras entidades em Portugal: a Pegmatítica – Sociedade Mineira de Pegmatites e a Universidade Nova de Lisboa.

“Estima-se que 27% da produção mundial de lítio é descartada. No entanto, estudos indicam que este recurso será insuficiente para ir ao encontro das necessidades do mercado a partir de 2025. Sendo este material tão escasso e de difícil extração, este esforço em inovar na sua reciclagem é essencial”, explica Luís Oliveira, responsável pelo projeto no INEGI.

A solução desenhada pelo consórcio engloba um processo contínuo, integrado e circular, de fabrico, recolha e reciclagem. Para tal, os 12 parceiros vão colaborar na criação de processos capazes de produzir materiais ativos para baterias, a partir de fontes de lítio secundárias e de baixa qualidade.

O consório inclui doze entidades de sete países: Portugal, Bélgica, Finlândia, França, Alemanha, Roménia e Holanda

A sustentabilidade do processo é uma prioridade, pelo que o INEGI tem a seu cargo a análise do impacto ambiental, social e de custos do processo, através da avaliação do ciclo de vida (LCA) e avaliação de custos, no sentido de melhorar a cadeia de valor circular do lítio.

Para tal, utilizará uma plataforma digital de dados, para mapear e recolher dados ambientais, económicos e sociais dos vários processos circulares em desenvolvimento.

“Ao criar um novo modelo de negócio circular para a aquisição e processamento de materiais, os parceiros estarão também a contribuir para diminuir a dependência externa da União Europeia para a importação de produtos químicos e matérias-primas”, salienta o INEGI.

Este é um de cinco projetos europeus dedicados à cadeia de valor das baterias que contam com a participação do INEGI. O instituto, que em todos tem a seu cargo atividades de investigação relacionadas com a sustentabilidade, obteve 2,25 M€ de financiamento.

O projeto “RELiEF – Recycling of Lithium from Secondary Raw Materials and Further” é financiado ao abrigo do programa Horizon Europe 2021.

Artigo anteriorIA é importante no combate às alterações climáticas
Próximo artigoPorsche vai aumentar aposta no segmento eBike

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of