Stoffel Vandoorne é o novo Campeão Mundial de Fórmula E ABB FIA 2021/22, sendo este o primeiro título que o belga conquistou na sua quarta temporada na modalidade.

Por seu lado, o piloto neozelandês Mitch Evans, em Jaguar, teve a sua melhor época na Fórmula E, obtendo o segundo lugar da geral.

Stoffel Vandoorne sucedeu como vencedor da Fórmula E ao colega de equipa, Nyck de Vries (que este ano terminou o Mundial no 9º lugar).

Edoardo Mortara, que na temporada anterior tinha sido vice-campeão e venceu a última corrida do mundial, em Seul, obteve o terceiro posto da geral. 

Seul foi o palco da última corrida do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula E que marcou o fim da temporada 8 e, também, a última prova dos monolugares da Gen2.

Recorde os principais destaques da última corrida do ano, em Seul, Coreia do Sul, ganha por Edoardo Mortara:

Esta foi a classificação final do campeonato por pilotos:

Vandoorne obteve oito pódios durante a época e ajudou a que a sua equipa, a Mercedes-EQ, se sagrasse campeã por equipas.

Aliás, o fabricante alemão, que anunciou que sai da Fórmula E, foi o grande dominador ao ter arrebatado os títulos de pilotos e construtores pela segunda vez consecutiva na Fórmula E.

Deste modo, por equipas, esta foi a classificação final da temporada 2021/22:

O português António Félix da Costa terminou o Mundial da modalidade no oitavo lugar. A DS Techeetah, a sua equipa, foi a terceira no final da temporada.

António Féix da Costa, com o seu carro nº13, da equipa DS Techeetah, durante a corrida de Seul, no fim-de-semana, de 12 a 14 de agosto. Foto Xavi Bonilla/DPPI

Félix da Costa assinou, entretanto, um contrato com a Porsche, mais especificamente com a Tag Heuer Porsche, ao volante de cujos carros disputará a época 2023, com o novo carro Gen3.

Félix da Costa irá ocupar o lugar de Andre Lotterer na Porsche.

Em comunicado, António Félix da Costa, Campeão FIA de Fórmula E 2019-20, destaca a última corrida como piloto da DS Techeetah: “O meu último dia de preto e dourado foi um dia daqueles! Fiz a ‘pole position’, mostrei a todos o meu ritmo e revelei as nossas ambições. Durante grande parte da corrida esteve tudo bem encaminhado, mas não tinha ritmo para acompanhar alguns dos meus adversários. Seguia em terceiro quando passei pelo ‘Attack Mode’ e quando tentei chegar ao segundo lugar levei um toque de outro piloto e, imediatamente, a minha corrida ficou comprometida. Cai para último, mas ainda consegui recuperar até ao 10º lugar e marcar um ponto. Mas esta não é a história dos 3 anos passados com a DS Techeetah. A nossa história revela que fomos campeões, conquistamos muitas coisas e por isso eu nunca vou esquecer estes rapazes.”

Artigo anteriorPlataforma da Aiways permite intervalos de manutenção de 100 mil quilómetros
Próximo artigoRepsol e Lactalis Nestlé promovem a circularidade das embalagens alimentares

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of