A Polestar, fabricante sueco de automóveis elétricos, confirmou a intenção de iniciar a produção do seu protótipo do roadster elétrico. O automóvel de produção deverá ser lançado em 2026 e será conhecido como Polestar 6. Os clientes interessados poderão reservar online um espaço de produção a partir de 16 de agosto de 2022.

“Devido à impressionante resposta por parte dos consumidores e da imprensa, decidimos produzir este deslumbrante roadster e estou muito empolgado por torná-lo realidade”, refere Thomas Ingenlath, CEO da Polestar. “O Polestar 6 combina na perfeição um potente desempenho elétrico e as emoções do ar fresco com a capota aberta”.

Revelado em Los Angeles em março como Polestar O₂, o roadster elétrico inspira-se nas ambições em termos de design, tecnologia e sustentabilidade estabelecidas pelo Polestar Precept e apresenta a visão da marca para os futuros automóveis desportivos.

Números de performance anunciados

O descapotável de teto rígido será construído na plataforma de alumínio soldado do construtor. Desenvolvido internamente, irá apresentar a arquitetura elétrica de elevadas prestações e 800 volts já confirmada para o Polestar 5. Inclui uma potência de até 650 kW (884 cv) e 900 Nm com um grupo motopropulsor com dois motores, 3,2 segundos dos 0-100 km/h e uma velocidade máxima de 250 km/h.

Para celebrar o lançamento, está prevista a produção de 500 unidades numeradas de uma versão especial “LA Concept”: o Polestar 6 LA Concept Edition. Esta versão irá contar em exclusivo com o exterior azul Sky, um interior em pele clara e as jantes de 21 polegadas do protótipo Polestar O₂ original.

A confirmação da produção é o destaque da participação da marca com o protótipo roadster elétrico nos eventos “Pebble Beach Concours d’Elegance” e “The Quail, A Motorsports Gathering” durante a Semana do Automóvel de Monterey na Califórnia, de 18 a 21 de agosto de 2022.

Serão conhecidos mais detalhes técnicos e especificações à medida que o automóvel de produção se for tornando realidade, sendo que o lançamento está previsto para 2026.

Artigo anteriorInstalar eucaliptos em áreas de matos irá aumentar passivo ambiental, denunciam ecologistas
Próximo artigoVisão para o desenvolvimento sustentável da aquacultura portuguesa

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of