A Peugeot decidiu levantar o véu sobre o trabalho da sua crescente equipa de técnicos responsáveis pela produção e teste de cada uma das baterias que são aplicadas nos seus automóveis e furgões eletrificados, tanto os 100% elétricos como os híbridos Plug-In. Estes especialistas recebem uma formação especial antes de se juntarem às fábricas europeias do fabricante localizadas em Espanha, Eslováquia e França. Cada bateria é testada para assegurar a sua fiabilidade, desempenho e ciclo de vida.

A eletrificação da Peugeot está a acelerar em 2022 com o 408, modelo que irá reforçar a oferta de veículos híbridos Plug-In, também fortalecida pelo novo 308 e pelos veículos comerciais ligeiros 100% elétricos. Em 2022, mais de 70% da gama Peugeot vendida em todo o mundo estará eletrificada. Na Europa, os modelos eletrificados da marca representam um em cada quatro automóveis de passageiros vendidos no primeiro semestre de 2022 (um em cada seis, em 2021). Até 2025, a totalidade da gama de modelos Peugeot oferecerá uma variante eletrificada. Isto exigirá um aumento substancial do número de baterias a serem produzidas. A marca estima que irá montar até 10.000 baterias por mês para a sua gama de automóveis até ao próximo ano e até 7.000 baterias por mês para a sua gama de comerciais ligeiros.

São necessários cerca de 60 minutos para os técnicos especializados montarem cada unidade de bateria de 50 kWh (células e componentes pré-montados). São necessários 90 minutos para as unidades maiores de 75 kWh. A equipa submete cada bateria a uma série de testes críticos. Por conseguinte, cada unidade é protegida por uma política de garantia de 8 anos/160.000 quilómetros para 70% da sua capacidade de carga.

Todo o processo de teste demora 15 minutos e é obrigatório para que as baterias possam avançar para a montagem.
• O primeiro teste simula o funcionamento da bateria num veículo para validar a sua fiabilidade.
• Um teste de desempenho estimula a bateria no seu débito máximo.
• O último teste verifica a estanquicidade. A unidade da bateria é pressurizada com um gás para verificar a existência de fugas através da monitorização da perda de pressão. Uma estanquicidade adequada impedirá a entrada de água ou sujidade dentro das células da bateria que poderia comprometer o seu ciclo de vida ou desempenho.

Operadores qualificados trabalham nas oficinas dedicadas à montagem de baterias em cinco fábricas do Grupo Stellantis: Vigo e Saragoça (Espanha), Trnava (Eslováquia), Sochaux e Mulhouse (França) e, em breve, Hordain (França). Tanto os veículos elétricos, como aqueles com motores convencionais a combustão, são montados na mesma linha de produção.

Os técnicos que testam e montam as baterias dos veículos Peugeot são provenientes das fábricas da Stellantis. São selecionados com base nas suas capacidades de eletrificação e recebem um mês de formação especializada. Como consequência da transição energética e do crescente mix de modelos eletrificados, a Peugeot e o Grupo Stellantis em geral estão a aumentar o número de técnicos qualificados para montar e trabalhar em veículos eletrificados.

Artigo anteriorPorto inaugurou renovado Parque de São Roque
Próximo artigoDuplas da Prio empatadas na liderança do Campeonato

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of