A série documental coproduzida pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela RTP, “Planeta A”, dedicada ao desenvolvimento sustentável, foi nomeada para o Prix Europa na categoria “Documentário televisivo”.

Dividida em nove episódios, esta série debruça-se sobre o desafio da sustentabilidade e explora as soluções que, a nível local e global, estão a ser postas em prática para combater os problemas que se colocam à Humanidade.

O ator João Reis é o narrador da série, que conta ainda com a participação de cientistas, investigadores e pessoas e organizações que, localmente, já estão a produzir mudanças.

Cada episódio aborda um tema específico: Alterações Climáticas (episódio 1), instituições democráticas (episódio 2), produção e consumo (episódio 2), pobreza e desigualdade (episódio 4), cidades sustentáveis (episódio 5), oceano (episódio 6), educação (episódio 7), inovação, infraestruturas e comunicação (episódio 8) e água (episódio 9), todos disponíveis no site da Fundação.

A esta edição do Prix Europa candidataram-se 606 produções, de 255 órgãos de comunicação social, dos quais foram selecionados 187, oriundos de 28 países.

A série documental Planeta A concorre com 20 outros candidatos, sendo a única produção portuguesa na categoria “Documentário televisivo”.

O Prix Europa foi criado pelo Parlamento Europeu, a Comissão Europeia e a European Cultural Foundation, em 1987, e tem desde então premiado o que de melhor se faz na Europa no campo da televisão, da rádio e do digital.

Os prémios Prix Europa 2022 serão entregues entre 23 e 29 de outubro, em Potsdam.

Artigo anteriorRegras europeias ameaçam florestas. ONG querem travar legislação
Próximo artigoÍndia deve apostar no hidrogénio e abandonar baterias de lítio

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of