A Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEPF) juntou-se à Cleanwatts, pioneira em Portugal no desenvolvimento de Comunidades de Energia Renovável (CERs), numa parceria que permitirá a instalação da primeira CER em Paços de Ferreira, potenciando a competitividade das empresas, a valorização económica e a atratividade do território.

No futuro outras comunidades poderão surgir, com o intuito de se conseguir um sistema energético mais sustentável no nosso concelho, com soluções de produção e gestão de energia, a partir de fontes renováveis (nomeadamente energia solar).

As obras de instalação dos painéis fotovoltaicos nas instalações da AEPF já iniciaram. Numa primeira fase estes serão para autoconsumo e, mais tarde, será possível partilhar a energia produzida com a comunidade, medida que aguarda aprovação pela Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG).

As Comunidades de Energia Renovável têm como principal objetivo a produção de energia local, limpa e descarbonizada, através da instalação de centrais de produção de energia fotovoltaica e integrando diversos membros, como entidades locais, empresas, juntas de freguesia, IPSS, municípios, coletividades e cidadãos, incluindo famílias economicamente vulneráveis, que usufruem de energia mais barata.

Entre as vantagens da adesão à Comunidade estão a diminuição dos custos energéticos em cerca de 30%, a redução da pegada ecológica das comunidades, uma maior eficiência das fontes energéticas e uma melhoria da qualidade de vida.

Com a criação da primeira CER em Paços de Ferreira será possível ter acesso a energia solar, barata e localmente produzida. Para o presidente da AEPF, Samuel Santiago, “as preocupações ambientais têm feito parte da agenda pública e mediática, sendo que o cumprimento dos objetivos singrados no Acordo de Paris, que visa alcançar a descarbonização das economias mundiais, é também uma responsabilidade das nossas empresas”.

Desta forma, “a aposta em mecanismos e ferramentas que permitam ao setor industrial contribuir para alcançar estas metas serão parte da estratégia da AEPF, que além das responsabilidades socioeconómicas, assume também responsabilidades ambientais”.

Promover a descarbonização da economia, reduzir a pegada ecológica e a fatura energética e promover a partilha de recursos entre os membros da comunidade são os principais objetivos da criação destas comunidades de energia.

“Esta parceria faz todo o sentido, uma vez que a AEPF representa agentes económicos das mais diversas áreas, do mobiliário ao têxtil, passando pelo comércio e pela metalomecânica e a Cleanwatts dispõe dos meios necessários ao processo de implementação de CERs, desde a criação ao dimensionamento, passando pelo capital financeiro, os recursos humanos, a implementação da infraestrutura e a operacionalização e gestão de energia”, explica o presidente da Cleanwatts, Basílio Simões, acrescentando que “tendo em conta as pontes que é possível fazer entre as duas entidades, acreditamos que esta será uma parceria de sucesso para todos”.

Para Samuel Santiago, “a implementação de CERs na nossa região permitirá concretizar as metas relativas ao uso de fontes de energia renováveis e de redução de emissões de gases com efeito de estufa”, sendo a Cleanwatts “o parceiro ideal”. “As sinergias potenciadas pela implementação de CERs vão beneficiar o território, nomeadamente no que toca à competitividade das empresas, à valorização económica, atração de investimento e criação de postos de trabalho, fixação da população, combate à pobreza energética e, consequentemente, bem-estar dos cidadãos”, frisa Basílio Simões.

Artigo anteriorNova geração Mitsubishi ASX segue tradição PHEV da marca
Próximo artigoNovo elétrico da Volvo é um SUV e vai chamar-se EX90

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of