No rescaldo do Dia Mundial Sem Carros, em que os condutores de automóveis são encorajados a deixá-los estacionados, proporcionando a eles próprios e aos seus concidadãos cidades e vilas mais tranquilas, silenciosas, limpas, seguras e socialmente coesas, a Zero realça a importância para o ambiente e para a economia de uma menor utilização do automóvel.

Nesse espírito, os ambientalistas sugerem que as autarquias adotem dias semanais sem carros.

“Numa altura em que a Europa atravessa uma grave crise energética e se prepara para embargar o petróleo russo na sequência da invasão da Ucrânia, é urgente reduzir a dependência do continente em relação ao petróleo e gás. Esse trabalho faz-se por via de uma maior incorporação de energias renováveis nos sistemas, eficiência e poupança energéticas”, afirma a Zero.

“Com cenário de crise ou sem ele”, a associação considera ainda que “a poupança energética é uma parcela fundamental na equação da transição energética, e é aqui que um dia sem carros por semana nas cidades pode ter um papel importante”.

Lembra a Zero: “Os dias sem carros já foram utilizados em dez países europeus na década de 1970, aquando da crise do petróleo causada pelo embargo da OPEP – Organização dos Países Exportadores de Petróleo, e pode também ter desta vez um papel determinante na mitigação dos efeitos da crise que vivemos”.

O estudo “Car Free Days”, no âmbito da Campanha Cidades Limpas, um consórcio europeu que a Zero integra, revela que 62% das pessoas nas cidades nas cidades de Londres, Barcelona, Varsóvia, Bruxelas e Paris apoiam a ideia de um dia sem carros por semana, revelando-se a favor de um uso exclusivo das ruas das cidades a pé, de bicicleta ou outros modos suaves de mobilidade, isto em vez de serem dominadas pelo automóvel.

Um dia sem carros faz reduzir o consumo de gasóleo e gasolina de modo assinalável

O documento revela que um único dia semanal sem automóvel nas principais cidades europeias poderá poupar entre 541 e 945 mil barris de petróleo em cada dia em que é implementado (dependendo do dia da semana) – ou seja, o equivalente a 3-5% de todo o consumo de gasóleo e gasolina em meio urbano na Europa (que representa cerca de 23% das emissões e uso de energia), ou o equivalente a cerca de 40% de todo o consumo anual de petróleo em Portugal ou o consumo inteiro de petróleo de países como a Estónia, Letónia e Lituânia.

O estudo – afirma a zero – mostra ainda que esta é uma medida que pode ter mais impacto do que trabalhar a partir de casa três dias por semana, assumindo que 40% da força de trabalho o faz.

A Zero acredita que os dias sem carros, uma medida aliás recomendada pela Agência Internacional de Energia para fazer reduzir a dependência de petróleo, são uma forma fácil de reduzir rápida e com expressão o consumo de gasóleo e gasolina em meio urbano em Portugal.

“Trata-se de uma medida que não obriga a novas infra-estruturas, a regulamentos complexos ou a despesa de monta, e que tem lugar geralmente num período de tempo e área geográfica claramente definidos, tais como ao domingo e no centro das cidades ou em determinados bairros ou ruas, ou em ambos. Os dias sem carros permitem uma melhoria no ar que respiramos, cuja fraca qualidade mata 6.000 portugueses todos os anos, segundo a Organização Mundial de Saúde”, sublinha a associação.

A Zero recomenda, em face da contingência atual de crise, dos resultados deste estudo, do crescente peso do setor dos transportes nas emissões em Portugal, e da dependência aguda que o país mantém do automóvel – é um dos países europeus em que mais se anda de carro –, a tomada dos seguintes conjuntos de políticas públicas por parte das cidades e do Governo:


Cidades devem
• Generalizadamente adotar dias semanais sem carros;
• Promover o uso do transporte público, melhorando a sua qualidade (frequência, pontualidade, densidade, intermodalidade);
• Adoptar metas de zero emissões nos transportes até 2030.

Governo deve
• Criar a moldura legal apropriada para a transição nas cidades para uma mobilidade limpa;
• Usar os fundos públicos disponíveis para melhorar e densificar o transporte público e promover modos de mobilidade limpa, incluindo a pedonal e em bicicleta;
• Coordenar e incentivar, através de uma política territorial, os dias sem carros nas cidades portuguesas
• Usar os dias sem carros como instrumento no Plano Nacional de Poupança de Energia

Faça download do estudo aqui.

Artigo anteriorNovo conceito de design do Aurelia 100% a hidrogénio foi aprovado pela RINA
Próximo artigoConsumidores querem mudança mais rápida para a eletrificação automóvel

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of