Os consumidores da UE poderiam economizar 71 mil milhões de euros no ano 2030, com poupanças semelhantes nos anos seguintes, se a flexibilidade do lado da procura de energia fosse totalmente implementada, de acordo com um novo estudo da DNV publicado pela smartEn – Smart Energy Europe e patrocinado pela Eaton, Enel X, EDF e Voltalis.

O estudo “Flexibilidade do lado da procura na UE: Quantificação dos benefícios em 2030” visa preencher uma lacuna importante, uma vez que até agora não foi realizada qualquer avaliação abrangente do potencial do QSD na UE. Constitui uma análise da escala de redução de emissões e de poupança de custos que pode ser alcançada se as famílias e as empresas do lado da procura forem habilitadas e encorajadas a desempenhar um papel mais ativo nos mercados energéticos.

Entre outras conclusões, os seguintes resultados foram encontrados num cenário que desencadeia a ativação total da flexibilidade dos edifícios, veículos elétricos e indústria.

Um olhar para 2030:

  • 37,5 milhões de toneladas podem ser poupadas em emissões de GEE
  • 11,1 – 29,1 mil milhões de euros podem ser poupados em investimentos na rede de distribuição
  • 71 mil milhões de euros seriam economizados diretamente pelos consumidores
  • 15,5 TWh (61%) seria a restrição renovável evitada
  • 2,7 mil milhões de euros seriam poupados na capacidade de geração de picos evitados

Nas suas observações de abertura durante o evento de lançamento, Michael Villa smartEn Director Executivo refere a sua satisfação “por, entre as Emergency Market Design Interventions, ter sido introduzido um objetivo de redução do pico da procura de eletricidade para estimular um consumo flexível e dependente do tempo. Tal como salientado no estudo da DNV, o papel ativo dos consumidores faz enorme sentido tanto agora, para esta situação de emergência, como em 2030, para ajudar a integrar a eletricidade renovável e alcançar a nossa meta de redução de 55GHG de uma forma rentável.”

Poupar energia e reduzir pressão

Seydou Kane, Vice President, Public Affairs, Corporate, EMEA, Eaton, salienta que “este estudo mostra como as famílias e as empresas do lado da procura – aqueles que tradicionalmente simplesmente pagam por energia – podem poupar e ganhar dinheiro e reduzir a pressão sobre a rede se são encorajados a investir em tecnologias que lhes permitam ter acesso aos benefícios de flexibilidade”.

Daniele Andreoli, Head of Demand Response, Enel X Global Retail, refere que “o estudo representa um marco fundamental para um maior desenvolvimento de soluções de flexibilidade do lado da procura, pois revela e quantifica claramente o papel crucial do consumo flexível para alcançar a transição energética de uma forma sustentável e rentável.”

Carmen Munoz, Head of downstream activities, EDF R&D, acrescenta que “a flexibilidade do lado da procura representa enormes oportunidades para a redução das emissões e a gestão de crises. Seremos ambiciosos, cautelosos na promoção e desbloqueamento dos investimentos necessários apenas para aqueles recursos que possam efetivamente alcançar a neutralidade climática”.

Link do estudo completo.

Artigo anteriorCarmo Wood aposta na investigação e desenvolvimento rumo à sustentabilidade
Próximo artigoISQ faz parceria para monitorizar indicadores de sustentabilidade em empresas

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of