Nos primeiros oito meses deste ano, a E-REDES reforçou o seu contributo para a transição energética através da ligação de 13 novas centrais de produção de energia renovável, entre as quais 10 novas centrais solares fotovoltaicas e 3 novas hídricas, bem como 6 sobreequipamentos de parques eólicos já existentes. Estas infraestruturas totalizam 202,3 MVA de potência instalada, um número 26% superior ao período homólogo.

Das novas infraestruturas operacionalizadas pela E-REDES destaca-se a ligação das três primeiras Centrais Fotovoltaicas resultantes do Leilão Solar de 2019 e a primeira Unidade de Pequena Produção (UPP) em Évora, referente a uma central solar fotovoltaica, com 1MVA de potência de renováveis ligada à rede.

Em Portugal, 60% da eletricidade consumida é já de origem renovável, colocando o país entre os mais avançados de Europa. As grandes centrais, hídricas e eólicas, são ainda as grandes responsáveis por esta mudança, mas as centrais fotovoltaicas de escala industrial e, crescentemente, as centrais mais pequenas para autoconsumo individual ou coletivo, estão também em rápido crescimento.

A E-REDES indica ainda que o segmento de autoconsumidores teve um crescimento também expressivo nos primeiros oito meses do ano, de cerca de 25% face ao período homólogo de 2021. Este crescimento representa um total de cerca de 200 MVA de potência instalada entre 1 de janeiro e 31 de agosto de 2022.

“O ritmo de instalação desta capacidade de produção, a sua variabilidade e pulverização de centros eletroprodutores pelo território coloca novos desafios às redes elétricas. As redes de distribuição, em particular, assumem um papel charneira. Cerca de 75% desta produção distribuída liga-se à rede de alta, média e baixa tensão, concessionada à E-REDES. Nos últimos 20 anos, as unidades ligadas totalizaram 5,5 GW, estando previstos 3,7 GW adicionais nos próximos quatro a cinco anos”, indica a E-REDES.

Quanto à mobilidade elétrica, estes meses ficaram marcados pelo crescimento do número de pedidos de integração de postos de mais de 100% face ao período homólogo, com um total de 652 pedidos efetuados nos primeiros oito meses do ano face aos 255 pedidos efetuados em 2021.

Artigo anteriorGulbenkian reflete sobre dimensões imateriais e espirituais da ecologia
Próximo artigoConferência debate potencial eólico offshore flutuante ibérico

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of