O Presidente da Microsoft, Brad Smith, regressou, esta quinta-feira, ao palco principal da maior cimeira mundial de tecnologia, Web Summit, para falar sobre as alterações climáticas, o papel da tecnologia e as ferramentas necessárias para ultrapassar a atual crise global de dependência do carbono.

“Enquanto ajudamos a Ucrânia e combatemos a pandemia, não podemos desfocarmo-nos das alterações climáticas. Essa crise vai ultrapassar todas as outras”, diz Brad Smith.

A par da Microsoft – que pretende ser negativa em emissões de carbono, positiva em consumo de água e zero desperdício até 2030 – Brad Smith destacou que mais de 3.900 organizações já estabeleceram compromissos climáticos, número que tem vindo a crescer. No entanto, o último Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente deixa claro que os atuais planos climáticos dos países ficam aquém do que será necessário para cumprir os objetivos mundiais.

Além da participação de Brad Smith, a Microsoft marca presença na Web Summit 2022 com o apoio a 20 startups do seu programa Microsoft for Startups Founders Hub. Através da “Microsoft Startup Island”, no pavilhão 5, dará palco às soluções das startups e acesso a mentoring hours, investors office hours e networking com empresas de capital de risco e interlocutores do ecossistema empreendedor.

Segundo o Presidente da Microsoft, as três próximas décadas serão marcadas por uma revolução na sustentabilidade e, aproveitando o lançamento do relatório da Microsoft “Closing the Sustainability Skills Gap”, Smith frisou a escassez de competências que o mercado irá enfrentar nesta área. Dados do LinkedIn Green Jobs indicam os empregos “verdes” cresceram a uma taxa anual de 8% entre 2015 e 2021, enquanto a “pool” de talentos cresceu 6%.

Como resposta, Brad Smith reforçou a importância dos dados e da Inteligência Artificial; a criação de novos mercados, sobretudo de carbono; a aposta em inovação para criação de nova legislação, nomeadamente em políticas de carbono, eletricidade e desperdício, bem como no investimento em talentos necessários na área da sustentabilidade.

O Presidente da tecnológica frisou que “o mundo tem de ser neutro em carbono até 2050” e, como tal, será necessário “investir em novas tecnologias para remover as emissões de carbono”, apelando aos governos do mundo para que, juntos, criem “uma nova convenção do clima“.

No segundo dia da Web Summit, a Microsoft foi distinguida no ranking “Best Global Brands 2022” da Interbrand, subindo para o segundo lugar da tabela, com o maior crescimento percentual ano após ano, aumentando o valor da marca em 32%.

Artigo anteriorCritical TechWorks desenvolve controlo remoto de estacionamento
Próximo artigoTrês start-ups na área da Bioeconomia azul premiadas

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of