Uma solução de refrigeração sustentável e acessível para o continente africano, onde 770 milhões de pessoas não têm acesso a eletricidade, foi premiada durante a Web Summit.

A Koolboks é a vencedora da grande final do primeiro programa internacional de start-ups lançado pela Galp no âmbito da sua plataforma de open innovation, a Upcoming Energies, que teve lugar no último dia da Web Summit.

A start-up propõe uma solução de refrigeração sustentável e acessível para o continente africano, onde 770 milhões de pessoas não têm acesso a eletricidade.

A Koolboks é uma arca que funciona em modo de refrigeração ou congelação, alimentada por painéis solares e baterias de lítio.

7 dias consecutivos

A energia, abundante e acumulada durante o dia, mantém a Koolboks a funcionar durante sete dias consecutivos garantindo a qualidade dos alimentos.

Deborah Gael, COO da Koolboks, explicou que esta inovação social permite suprir “grandes desafios que se colocam às populações”, uma vez que 17% das pessoas na África Subsariana não têm acesso a fontes de refrigeração. O impacto social da Koolboks vai além de uma mera solução tecnológica, permitindo que “as mulheres africanas tenham mais autonomia, gerindo pequenos negócios assentes na venda de alimentos ou refeições”.

“Todos os projetos finalistas do Startup the Future já são vencedores por terem chegado até aqui,” afirmou Georgious Papadimitriou, COO responsável pelas áreas de energias renováveis e inovação da Galp, entregou o prémio de €50.000 a Deborah Gael, reforçando a importância da inovação.

“A transição energética que estamos a operar exige inovação, exige colaboração e exige pessoas como estes empreendedores que hoje distinguimos”, aponta a Galp.

O Startup the Future captou a atenção do ecossistema empreendedor global, desafiando-o a encontrar as soluções mais inovadoras e disruptivas nas áreas de Social Innovation, Electric mobility (em parceria com BMW), Renewables & Energy Management e Production & Operations.

Foram recebidas mais de 200 candidaturas de 54 países e quatro continentes e, para além da Koolboks, a vencedora na categoria de Social Innovation, chegaram à final em Lisboa: a Mobilyze, uma start-up eslovaca que usa tecnologia preditiva para otimizar a localização de pontos de carregamento de veículos elétricos; a Delfos, uma start-up brasileira que aplica Inteligência Artificial na produção de energia renovável; e a GreenEnergy, também do Brasil, que propõe produzir hidrogénio verde a partir do lodo das águas residuais.

Para além de passarem uma semana imersiva em Lisboa, as quatro finalistas tiveram ainda a oportunidade de ser apresentadas na Web Summit, onde fizeram o seu pitch, e de testar as suas soluções de inovação em ambiente de negócio na Galp.

Terminado o Startup the Future, a plataforma de open innovation da Galp Upcoming Energies continua com calls para empreendedores de todo o mundo, com o objetivo de alargar o ecossistema de inovação e encontrar novas tecnologias que acelerem a transição energética da Galp.

Artigo anteriorParque fotovoltaico de Conde vai suprir consumo anual de 5.000 residências
Próximo artigoComo gerar ambientes mais saudáveis nas cidades? Tecnologia de apoio ao estacionamento dá uma ajuda

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of