A chegada da terceira geração dos Fórmula E, no início da próxima temporada, marca o início de uma nova era da primeira competição de veículos elétricos do mundo.

A primeira corrida da temporada 9 da Fórmula E será corrida na cidade do México City, no dia 14 de janeiro.

Os monolugares perderam peso e apresentam uma distância entre eixos mais curta e uma menor largura. Apesar da bateria diminuir em tamanho, é agora mais potente. A proporção de bateria recuperada cresceu. A aerodinâmica e o design também apresentam alterações. Perante estas modificações, os veículos são mais ágeis, o que também melhora a performance em pista.

“Os novos Gen3 têm como principal intenção estabelecer novas referências no desporto motorizado em termos de performance, eficiência e sustentabilidade”, aponta a Porsche, que, a propósito do seu novo Porsche 99X Electric Gen3 (que será pilotado pelo português António Félix da Costa), faz uma síntese das principais alterações e novidades para a quarta temporada na Fórmula E, em 2023.

Principais diferenças do Gen3 face à geração anterior:

Performance: A performance dos novos veículos Gen3 aumentou dos 250 para os 350 kW (476 cv). A velocidade máxima: 322 km/h em vez de 280 km/h.

Motorização: Desenvolvida pela Porsche Motorsport com uma potência máxima de 350 kW no eixo traseiro – mais 100 kW do que a geração anterior (Gen2).

Travões: O novo sistema dianteiro adiciona 250 kW aos 350 kW na traseira, o que resulta numa recuperação de energia com uma potência de até 600 kW – mais do dobro da capacidade regenerativa dos veículos Gen2. Fração de travagem adicional controlada por unidade “brake-by-wire”.

Eficiência: O motor elétrico atinge cerca de 95% da eficiência energética em comparação com cerca de 40% num motor a combustão interna. Mais de 40% da energia utilizada é recuperada através da travagem regenerativa.

Capacidade de carregamento: A nova capacidade de carregamento ultrarrápida dos veículos Gen3 deverá acrescentar cerca de 600 kW de energia durante a corrida. Isto significa que os carregadores da nova geração da Fórmula E têm quase o dobro da potência dos carregadores comerciais mais avançados do mundo. Para além disso, a tecnologia de carregamento rápido deve garantir um desempenho constantemente elevado da bateria.

Sustentabilidade: Segundo o fabricante de componentes, as células das baterias dos novos Gen3 são feitas de minerais de fonte sustentável. Após cada temporada, as células devem ser reutilizadas ou recicladas. Para a construção da carroçaria em fibra de carbono, o fabricante afirma que a fibra de carbono reciclada é utilizada a partir dos veículos Gen2 retirados. Assim, deverá reduzir a pegada de carbono da produção em mais de 10%. Para determinar medidas que possam ajudar a reduzir o impacto Ambiental, a pegada de carbono dos novos veículos de Fórmula E é medida desde o início da fase de criação. Todas as emissões inevitáveis serão compensadas como parte do compromisso zero carbono da Fórmula E.

Artigo anteriorShenzhen, a Silicon Valley chinesa
Próximo artigoViana do Castelo terá zona para “pilotos” de energias renováveis oceânicas

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of