A IberBlue Wind, joint-venture criada para a promoção de parques eólicos offshore flutuantes na Península Ibérica, elegeu as águas ao largo da Andaluzia para desenvolver o primeiro dos seus projetos eólicos offshore.

O parque eólico, denominado Nao Victoria, em homenagem à nau da expedição Magalhães-Elcano, ocupará uma área de 310 km2 no Mar de Alborão (a parte mais ocidental do Mar Mediterrâneo).

Estará localizado ao largo das costas de Cádis e Málaga, e terá 55 turbinas eólicas e uma capacidade instalada de 990 MW, que poderão fornecer eletricidade a centenas de milhares de casas.

A implementação deste projeto na Andaluzia exigirá uma estreita colaboração com os portos vizinhos de Cádis e Málaga e desempenhará um papel importante na criação de emprego, uma vez que permitirá a criação de milhares de postos de trabalho. Destes, a grande maioria estará alocada na fase de desenvolvimento e construção do parque eólico, e o resto para a operação e manutenção das turbinas eólicas durante os anos de funcionamento.

Localizado a 25-40 km da costa

O parque eólico offshore Nao Victoria estará localizado a 25-40 km da costa, o que ajudará a reduzir o impacto paisagístico da instalação, que será apoiado por plataformas flutuantes ancoradas no fundo do mar. Esta tecnologia permite que as turbinas eólicas se situem mais profundamente no mar, o que supera a dificuldade colocada pela estreita plataforma continental da Península Ibérica.

Este consórcio é composto pela empresa irlandesa Simply Blue Group, que conta com experiência internacional na economia azul, especificamente em turbinas eólicas flutuantes, e pelas empresas espanholas Proes Consultores, a divisão de engenharia do Grupo Amper, e FF NEV, líder no desenvolvimento e promoção de projetos renováveis na península.

Para Adrián de Andrés, Vice-Presidente da IberBlue Wind, a “Andaluzia é uma região com grande potencial de desenvolvimento em energia eólica offshore flutuante e com este projeto eólico queremos contribuir para o posicionamento da região nesse mesmo setor de energia.”

A aposta da IberBlue Wind na Andaluzia dará um contributo significativo para impulsionar o modelo económico da região. Esta área, juntamente com a Galiza, foram definidas como estratégicas para o desenvolvimento da atividade da joint-venture.

Mercado português

A Nao Victoria, em homenagem à nau da expedição Magalhães-Elcano que completou a primeira circunavegação da Terra no século XVI, é o primeiro dos projetos com que a IberBlue Wind se apresenta em leilões públicos, que deverão ter lugar nos próximos meses.

Para além da Andaluzia, a IberBlue Wind encontra-se a desenvolver outros projetos na Galiza e em Portugal, país igualmente estratégico para o consórcio. Nesse sentido, a joint-venture aspira a tornar-se também uma referência no mercado português, com o foco nas áreas norte e central, devido ao seu elevado potencial do recurso eólico.

Artigo anteriorPepsiCo aumenta consumo de batata de agricultura sustentável em Portugal
Próximo artigoLeasePlan lança solução que vai facilitar o carregamento elétrico

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of