Projeto B-SEArcular juntou 7 empresas em prol da moda e indústria têxtil sustentáveis

0
Projeto B-SEArcular juntou 7 empresas em prol da moda e indústria têxtil sustentáveis

O aumento do lixo plástico é uma das ameaças mais importantes aos ecossistemas em todo o mundo. O consumo excessivo deste material e a má gestão da sua reciclagem e coleta fazem com que milhões de toneladas cheguem aos mares e oceanos a cada ano. Embora um dos primeiros passos para resolver este problema seja reduzir a fabricação e o uso de plásticos no dia-a-dia, é também necessário pensar no que fazer com os resíduos existentes que acabam a poluir os mares e oceanos. É neste sentido que surge a iniciativa B-SEArcular (#BSEArcular), realizada pela Epson em conjunto com a Lisbon School of Design (LSD), a A. Sampaio & Filhos, a Lemar, a INEDIT Studio, a Seaqual. Este projeto mostra que através da economia circular podemos atingir um objetivo comum, através de diferentes agentes. Assim, a ação nasce de um modelo sustentável que consiste no reaproveitamento dos plásticos que ancoram nos oceanos para a fabricação de tecidos que posteriormente serão transformados em peças de moda.

“A iniciativa B-SEArcular surgiu através de uma conversa com a Lisbon School of Design, em que considerávamos importante fazer o match entre uma tecnologia que já existia por parte da Epson, de impressão digital sustentável para material têxtil, com as ideias cada vez mais sustentáveis de alunos das escolas de design”, começa Raul Sanahuja, responsável de Comunicação da Epson, por explicar, adicionando que “esta iniciativa só foi possível de realizar em Portugal graças à participação de vários intervenientes.

As empresas A. Sampaio & Filhos, Lemar, INEDIT Studio e Seaqual participaram, cada uma, em diferentes fases do projeto, desde a limpeza de praias para angariação de plástico marinho aos processos de produção, à transformação do plástico em malhas circulares e à criação de tecidos – posteriormente personalizados pela Epson através de uma das técnicas de impressão menos invasivas e mais sustentáveis para o meio ambiente: a sublimação. A impressão têxtil digital, ou seja, a impressão de moda sustentável, funciona mediante injeção de tinta e permite 80% de poupança energética, consome 60% menos de água e, portanto, reduz consideravelmente a produção de resíduos associada ao processo de produção. Assim, a Epson conta com diversas certificações que comprovam que as tintas utilizadas são inócuas e resistentes à transpiração e lavagem. Na opinião do responsável de Comunicação da Epson, “há ainda um caminho por percorrer na digitalização.

O mercado digital cujo valor continua a aumentar, já ronda os 20 milhões de euros. Para aproveitar estas oportunidades, o nosso trabalho assenta em oferecer aos profissionais as melhores soluções tecnológicas que lhes permitam realizar tiragens curtas e ágeis, conseguir uma maior personalização dos desenhos, imprimir em todo o tipo de superfícies, reduzir ações e, em última instância, ser capaz de atender à procura de um mercado em constante mudança”. Como parte do projeto, com a ideia de unir forças e otimizar recursos e energia, os tecidos foram preparados como uma folha em branco para alunos da Lisbon School of Design, para que pudessem dar asas à sua imaginação e criar as suas peças de moda. Nesse sentido, o B-SEArcular também se posiciona como uma plataforma de projeção para jovens profissionais do design têxtil, especialmente no campo da moda sustentável. A colaboração entre a Epson, Seaqual, A. Sampaio & Filhos, Lemar, LSD e a INEDIT Design responde aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estabelecidos pelas Nações Unidas, e à vontade de cada uma delas de trabalhar no desenvolvimento de projetos que permitam um modelo económico mais responsável com o ambiente.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of