Numa ação integrada no Salão Automóvel de Bruxelas, a Dacia mostrou a nova versão, Extreme, para o elétrico Spring, conferindo ao modelo um toque mais aventureiro.

A versão “Extreme”’ substituirá a versão Expression, que foi a escolhida por 8 em cada 10 dos atuais clientes particulares do Spring.

Com o lançamento do novo Spring Extreme, a Dacia também aproveita para estrear o novo motor Electric 65 (65 cv/48 kW). Disponível apenas no nível Extreme, o motor é acoplado a uma nova caixa de velocidades que multiplica o binário transmitido às rodas, ao mesmo tempo que proporciona uma maior aceleração e melhores recuperações numa vasta gama de regimes.

O Spring Extreme tem uma autonomia de 220 km em ciclo misto WLTP e 305 km em ciclo urbano WLTP.

Apesar desta nova opção, o motor Electric 45 (45 cv/33 kW) continuará a estar disponível no nível de acabamento Essential, refere a Dacia.

O Spring Extreme vem com a nova cor “Slate Blue” e exclusivos detalhes de design:

Exterior:

  • Castanho Cobre (Copper Brown) é utilizado em peças localizadas nas barras do tejadilho, moldura dos espelhos laterais, cubos das rodas, no logótipo da Dacia na porta da bagageira e por baixo das óticas do automóvel.
  • Faixas com um desenho topográfico nas portas da frente e uma referência ao exclusivo snorkel do Duster, localizado entre as portas e os guarda-lamas dianteiros.
  • Padrões topográficos nas proteções inferiores das portas.

Interior:

  • Padrões topográficos nas soleiras das portas.
  • Impressões topográficas nos tapetes frontais em borracha.
  • Castanho Cobre (Copper Brown) utilizado em alguns detalhes dos painéis das portas frontais, bem como em torno das saídas de ventilação e do painel de navegação.
  • Pespontos Castanho Cobre (Copper Brown) nos bancos.
  • Logotipo “Dacia Link” em relevo nos bancos dianteiros

O Spring Extreme com o novo motor Electric 65 pode ser encomendado, em Portugal, pelo valor de 22.050 euros.

As encomendas abrem na terça-feira dia 17 de janeiro, com as entregas a começarem antes do verão.

Artigo anterior57% da energia gerada em Portugal foi de origem renovável
Próximo artigoSavannah avalia impacto social do Projeto Lítio do Barroso

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of