Painéis solares sempre a produzir o máximo? Há um segredo para isso

Não é o facto de ter instalado painéis solares que faz com que, daqui em diante, passe a ter a produção energética renovável que contratualizou. Associado a uma instalação fotovoltaica é indispensável garantir um serviço de monitorização e manutenção para saber, a cada segundo, o que está, de facto, a produzir, detetar e até prevenir falhas.

0
1208

O sistema de monitorização é um elemento chave em painéis solares. Uma vez uma central fotovoltaica instalada, é fundamental que o seu funcionamento seja monitorizado para se atestar que a sua capacidade de produção está de acordo com aquilo que é suposto.

A tecnologia e a digitalização desempenham aqui um papel determinante, já que o software está orientado para os dados, fornecendo um leque variado e útil de informação para a otimização da central.

O que é que o sistema de monitorização permite?
Verificar o estado de cada inversor;
Verificar a energia total produzida à saída dos inversores;
Enviar mensagens em caso de detetar erros ou defeitos na instalação;
Potenciar ao máximo a produção de energia solar, gerando as melhores poupanças para o cliente.

De resto, instalar uma central e não a fazer acompanhar de um sistema de monitorização inteligente é algo que não faz sentido e é contraproducente em relação ao investimento feito.

A monitorização permite a otimização da instalação solar. Por sua vez, a otimização coloca o foco na máxima eficiência da central, garantindo o cumprimento das condições contratualizadas entre o cliente e a empresa instaladora.

Se não for feita uma monitorização, não se saberá se os painéis solares estão a produzir a energia que é suposto. Também as poupanças, económicas e de CO2, ficam comprometidas.

O sistema de monitorização permite identificar as causas que poderão estar a comprometer a performance técnica e económica da central. Mas também é uma ferramenta útil em termos de manutenção preventiva das centrais fotovoltaicas.

O sistema de monitorização é composto por hardware e software. A Helexia, especialista em instalações fotovoltaicas, explica que o hardware é composto por um medidor de radiação solar que se destina a identificar a radiação do momento e comparar com a produção de energia ao minuto. É também composto por sensores nos inversores que contabilizam a energia de cada string e um datalogger com ligação à internet que vai permitir obter e disponibilizar as variáveis de monitorização e integrá-las num único software.
Este software é disponibilizado através de uma plataforma que pode ser visualizada num desktop, mas também num suporte mobile, possibilitando que o controlo e monitorização da produção de energia de uma central solar seja feito, a todo o instante e em qualquer lugar.

Operação e Manutenção garantem longevidade da instalação

A monitorização inteligente de uma central deverá integrar-se num serviço de acompanhamento da instalação. Dito de outro modo, para se garantir que uma central fotovoltaica tenha uma boa longevidade é indispensável não descurar a sua manutenção. Tal e qual como um automóvel.

Os especialistas da Helexia consideram mesmo que a Operação e Manutenção (O&M) “são os elementos mais duradouros no ciclo de vida de uma central solar fotovoltaica”, sendo determinante para uma excelente performance do sistema.

“A O&M pode ter uma duração entre 25 a 30 anos, seguindo de perto a evolução da central, resolvendo eventuais perturbações, analisando tendências e reduzindo a frequência, o impacto e a duração dos incidentes, melhorando assim a sua performance”, aponta a Helexia.

A O&M envolve múltiplas atividades e pessoas com diferentes backgrounds, com formações específicas de segurança dos sistemas eletrónicos, riscos elétricos ou trabalhos em altura, por exemplo.

Manutenção preventiva: envolve inspeções visuais regulares de acordo com o Plano Anual de Manutenção onde são realizadas diferentes atividades, tais como: limpeza dos painéis (para remoção de poeiras e detritos), verificações e testes para averiguação do desempenho dos diferentes componentes do sistema fotovoltaico e inspeção de possíveis danos nos painéis solares e da estrutura de fixação. É ainda verificado o estado das ligações entre painéis, strings, inversores e contadores. Os drones são uma excelente ferramenta para uma análise visual com possibilidade de adicionar inspeção termográfica das centrais solares fotovoltaicas. Os drones permitem ainda inspecionar de forma fácil painéis, acedendo a pontos altos ou de difícil acesso.

Manutenção corretiva: são as atividades necessárias para identificar falhas na central solar, através da substituição ou da reparação de equipamentos como painéis, inversores, cabos ou contadores.

Por Operação entende-se o acompanhamento dos equipamentos que compõem a central solar e a análise e monitorização dos dados de produção, controlo da performance e autoconsumo da energia.

A Manutenção consiste num conjunto de ações desenvolvidas para manter e otimizar a operação da planta fotovoltaica.

A monitorização é assegurada por uma equipa especializada que está disponível 24/7, realiza uma triagem dos problemas reais, reencaminhando incidentes para as equipas técnicas. O seu trabalho é apoiado por algoritmos desenvolvidos para cada uma das instalações da sua responsabilidade.

E para manter a central sempre disponível e melhorar o ciclo de vida de outros componentes da central, é preciso planear e implementar ações preventivas concretas, as quais ganham uma relevância ainda maior, nos dias que correm, com os fenómenos climatéricos extremos.

Eventos climáticos extremos como vento e chuvas fortes, poeiras ou temperaturas elevadas colocam ativos e infraestruturas em risco.

Rajadas de intensidade superior a 130 km/hora podem ter impactos significativos nas centrais solares, como o arrastamento de módulos fotovoltaicos e outros impactos na estabilidade da estrutura ou em aparelhos elétricos e eletrónicos de suporte, tais como cabos, inversores, entre outros.

Tempestades de areia, que se iniciam em zonas geográficas secas, podem espalhar-se por centenas de quilómetros. As poeiras, ao caírem sobre os painéis fotovoltaicos criam uma camada na sua superfície causando uma barreira à radiação solar. Desta forma, a capacidade de produção de energia é diminuída.

Inspeção e manutenção a inversores solares feitos pela Helexia

Um plano de manutenção rigoroso permite conservar as condições ótimas dos equipamentos, garantindo a segurança da instalação.

O aumento global da temperatura do planeta e vagas de calor mais intensas e frequentes podem reduzir a produção de energia. Os módulos fotovoltaicos são impactados negativamente quando se verificam altas temperaturas, reduzindo a eficiência na produção de energia. Este tipo de condições climatéricas tem ainda impactos nos equipamentos como os inversores ou as proteções elétricas.

Por outro lado, havendo períodos de seca maiores, e com maior frequência, há uma redução da precipitação regular, a qual tem uma função de manter a limpeza básica das centrais fotovoltaicas, eliminando poeiras ou detritos ligeiros. Sem chuva, a gestão da manutenção tem ainda de ser mais atenta, com as equipas a programarem a limpeza das centrais fotovoltaicas em paralelo com softwares de previsões meteorológicas, com o objetivo de otimizar os períodos de limpeza.

“Nestes casos, as equipas de operação e manutenção em sintonia com os avisos da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil estão em alerta para garantir um plano de manutenção rigoroso, permitindo conservar as condições ótimas dos equipamentos e garantir a segurança da instalação”, afirma a Helexia.

A Helexia utiliza, por exemplo, um sistema de monitorização que permite a deteção de incidentes em tempo real e de forma automática: “Este sistema envia alertas às nossas equipas e desta forma, diminui os tempos de resposta. O nosso sistema de monitorização permite seguir a performance da instalação de forma a obtermos ações concretas de melhoria ou correção, como por exemplo, definir a melhor data para a limpeza dos painéis solares”.

Neste ponto, a Helexia possui também a limpeza automática de painéis solares, “através da utilização de robôs que permitem por um lado, otimizar este processo, e por outro, aumentar a segurança das equipas de operação nas coberturas”.

A assistência técnica é o que fará com que a central esteja sempre a 100%, fazendo a diferença para rentabilizar o investimento feito.

“A energia é cada vez mais um custo importante na estrutura de uma organização, não apenas um custo financeiro, mas igualmente um custo ambiental, por isso levamos a produção de energia renovável muito a sério. A monitorização 24/7 garante aos nossos clientes qualquer desvio, quebra de produção ou incidente é rapidamente detetado e que as equipas de suporte atuam de imediato. A manutenção é importante para garantir que centrais obtêm bons rácios de produção e elevadas taxas de autoconsumo da energia produzida. Inclui: limpeza, inspeção termográfica a todos os equipamentos elétricos, verificação de apertos, entre outras tarefas A monitorização e manutenção em conjunto, garantem que o ciclo de vida de uma central é longo e que as taxas de autoconsumo são elevadas”, finaliza a Helexia.

Artigo anteriorNovo Verde quer canal HoReCa a separar mais resíduos de embalagens
Próximo artigoMarques Soares reforça reflorestação da Mata Nacional do Bussaco com plantio de 372 árvores