Num período especialmente desafiante a nível global, a IKEA celebrou o seu 80.º aniversário e reduziu a sua pegada carbónica em 24,3% em relação ao FY16 (ano zero). Estes resultados, devem-se, principalmente, à implementação de medidas de redução da pegada carbónica, que vão do aumento da eficiência energética à utilização crescente de eletricidade renovável, e que reforçam o compromisso da Ikea em garantir uma vida melhor em casa, e uma vida melhor no planeta.

O Relatório anual e de Sustentabilidade abrange todas as áreas de negócio do Grupo Ingka. O Grupo reforçou recentemente os seus objetivos climáticos de acordo com a norma Corporate Net Zero da iniciativa Science Based Target, estabelecendo o compromisso contínuo de reduzir as emissões absolutas de gases com efeito de estufa da cadeia de valor em, pelo menos, 50% até 2030 e de atingir emissões zero até 2050.

Principais resultados alcançados em FY23:

• A pegada climática total do Grupo Ingka diminuiu 24,3% em relação à linha de base do ano fiscal de 2016. Esta diminuição foi alcançada mesmo registando um crescimento de 30,9% nas receitas, no mesmo período.

• 79,2% da eletricidade utilizada pelo Grupo Ingka provém de fontes renováveis.

• Investimentos adicionais de 700 milhões de euros em energia renovável, totalizando cerca de 3,8 mil milhões de euros investidos desde 2009.

• 3.2 mil milhões de visitas online e 697 milhões de visitas em todos os espaços comerciais da IKEA. Atualmente, 26% das vendas são geradas a partir dos canais digitais da marca.

• 75,9% dos resíduos operacionais foram encaminhados para reciclagem.

• O número de clientes que utilizaram o serviço 2.a vida (que permite aos clientes vender os produtos IKEA que já não utilizam) duplicou. Mais de 211 600 clientes utilizaram o serviço de Áreas Circular nas lojas, onde foram vendidos 45,1 milhões de produtos.

• 2,2 milhões de clientes utilizaram o serviço de peças sobresselentes, prolongando assim o ciclo de vida útil dos seus produtos.

• A IKEA pretende apoiar os clientes na redução do seu impacto ambiental e contribuir para que adotem um estilo de vida mais saudável e sustentável. Nesse sentido, está a tornar os alimentos à base de proteína vegetal (plant based) mais económicos e acessíveis para os seus clientes. O lançamento do novo cachorro de proteína vegetal em 14 mercados, é um exemplo desse compromisso, somando-se à oferta de alimentos à base de plantas a um preço igual ou inferior ao das alternativas à base de carne.

“O mundo está a enfrentar muitos desafios – alterações climáticas, destruição da natureza, aumento da desigualdade… só para citar alguns. Estamos determinados em fazer parte da solução. Optámos por permanecer otimistas e liderar esta mudança. Durante o ano passado, continuámos a transformar as nossas operações e expandimos a nossa oferta de produtos, serviços e soluções para facilitar aos nossos clientes a adoção de comportamentos mais sustentáveis. Entre estas ações, está o reforço da oferta de refeições à base de proteína vegeta, com o lançamento por exemplo de um novo cachorro, já disponível em 14 mercados.

Ficamos também bastante orgulhosos pelo facto dos nossos serviços circulares serem cada vez mais tidos em conta pelos nossos clientes. Nas nossas próprias operações, a utilização de energia renovável estende-se a cada vez mais âmbitos, com mais de 79% da eletricidade utilizada a ser proveniente de fontes renováveis.”, afirma Karen Pflug, Diretora de Sustentabilidade do Grupo Ingka.

“Estamos muito orgulhosos pelo trabalho desenvolvido ao longo do FY23, mas conscientes de que ainda há muito por fazer. Continuaremos a liderar com curiosidade, coragem e empenho, garantindo que as nossas ações têm cada vez mais impacto na comunidade. Se trabalharmos todos em conjunto, sou otimista quanto à possibilidade de assegurarmos um futuro melhor para o planeta, para as pessoas, e consequentemente para a empresa”, concluiu.

Os resultados apresentados no Relatório anual e de Sustentabilidade para FY23 reforçam o compromisso contínuo do Grupo Ingka com a sustentabilidade, a eficiência energética, a igualdade e a melhoria da experiência dos clientes.

Fotografia: erika.weiland@apeloga.se

Artigo anteriorUm milhão de passageiros já viajou no Metro de Lisboa com pagamento contactless
Próximo artigoChatGPT passa a estar presente nos modelos Peugeot