APREN premeia quatro trabalhos académicos de excelência na área das renováveis

0
APREN premeia quatro trabalhos académicos de excelência na área das renováveis

O Prémio APREN, uma iniciativa da APREN – Associação Portuguesa de Energias Renováveis, distinguiu quatro trabalhos académicos de doutoramento e mestrado sobre eletricidade de origem renovável, numa cerimónia que decorreu a 23 de fevereiro, no hotel EPIC SANA Marquês, em Lisboa.

O 1.º lugar, na categoria de Doutoramento, foi conquistado por António Coelho, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, com a dissertação “Network security participation of aggregators of multi-energy systems in multi energy markets”.

O 2.º lugar coube a Luís Barros, da Universidade do Minho, pelo trabalho intitulado “Smart Power Conditioners for Electric Railway Power Grids”.

Na categoria de Mestrado, o 1.º lugar do prémio, foi atribuído a Leonardo Vidas, do Instituto Superior Técnico, autor da tese sobre “Optimal sizing of solar/wind-to-hydrogen systems in a suitable selection geospatial framework – the case of Italy and Portugal”.

O 2.º lugar, nesta categoria, foi entregue a Luís Rodrigues, da FEUP, com o trabalho “Techno-Economic Feasibility Analysis of a Hydrogen Power Plant in a Market Environment”.

O evento incluiu ainda um debate dedicado ao tema “A importância das sinergias entre a Academia e o Setor da Energia para a Transição energética”. A conversa foi moderada pela Coordenadora de Políticas e Inteligência de Mercado, Susana Serôdio, e teve a participação de Pedro Amaral Jorge, presidente da direção da APREN; Sofia Simões, do Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG); Luís Seca, Administrador Executivo do INESC TEC, e José Carlos Matos, Head of Wind Energy Group do INEGI.

O encerramento da cerimónia foi assegurado pela eurodeputada e Professora Catedrática do Instituto Superior Técnico, Maria da Graça Carvalho, que é também presidente do Júri do Prémio APREN. No seu encerramento, além de falar da importância do tema, das renováveis, e do seu trabalho na criação de legislação a nível europeu para o mercado elétrico europeu, a Eurodeputada ressalvou também a grande qualidade de todas as teses candidatas na iniciativa.

O painel do júri é composto por outros seis professores universitários de vários ramos da energia e renováveis: Jorge Maia Alves, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa; Edgar Fernandes e Pedro Carvalho, do Instituto Superior Técnico; Sofia Simões, do LNEG; Patrícia Fortes, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa; e Bernardo Silva, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

Em 2023 o Prémio APREN regressou com um júri renovado e mais abrangente e com um evento dedicado. Até aqui os galardões eram entregues na conferência anual da APREN, a Portugal Renewable Energy Summit. O crescente interesse pelo setor, o incremento da sua área de abrangência e a vontade de fortalecer os laços com o universo académico ditaram a criação de um evento próprio para esta iniciativa.

Desde 2015 que a APREN distingue as melhores dissertações de mestrado e doutoramento sobre a temática da eletricidade de origem renovável, realizadas em instituições de ensino superior de Portugal. Ao longo dos últimos anos foram distinguidas várias dezenas de teses académicas na área das renováveis.

O tema das dissertações académicas apresentadas ao prémio APREN, que podem estar escritas em português ou inglês, deve estar relacionado com a eletrificação direta e indireta com base em recursos de origem renovável, nomeadamente nas áreas da sua produção, distribuição, gestão e regulação, mercado e consumo, abrangendo os aspetos científicos, tecnológicos, financeiros, económicos e ainda outros que promovam a descarbonização de forma sustentável.

A escolha dos trabalhos tem em conta o potencial e relevância do tema, a robustez técnica e científica, mas também a qualidade do documento, a apresentação submetida e a apresentação oral a que serão submetidos os candidatos já numa fase final.

O prémio para a melhor tese de doutoramento tem o valor de 2.000 euros. O autor da segunda melhor tese recebe 1.000 euros. A tese de mestrado vencedora tem associado um prémio de 1.500 euros e a segunda melhor dissertação dá acesso a um valor de 750 euros.