Portugal está entre os 20 países do mundo com melhor qualidade do ar, segundo uma lista divulgada que analisa o ar de 134 países.

A análise incide no ano sobre 2023 e faz parte do 6.º Relatório Anual sobre a Qualidade do Ar no Mundo, da responsabilidade da organização suíça IQAir.

Para elaborar a lista, a organização tem como principal indicador as chamadas partículas finas (PM2.5), medidas em microgramas por metro cúbico. Estão ligadas nomeadamente a motores de combustão (sobretudo os Diesel) e têm impactos negativos na saúde humana.

Para os resultados agora divulgados, nalguns casos preocupantes, a IQAir usou dados de 30.000 estações de monitorização da qualidade do ar em 7.812 locais de 134 países, territórios e regiões.

Para construir este ranking levou também em conta a população de cada país.

Do pior para o melhor, esta foi a classificação:

A melhor classificação vai para a Polinésia Francesa, com 3,2 microgramas de partículas finas por metro cúbico.

Em último lugar, na posição 134, surge o Bangladesh. Segue-se em penúltimo o Paquistão e em antepenúltimo a Índia.

De acordo com o relatório, o Bangladesh tinha 79,9 microgramas por metro cúbico de média anual, mais de 15 vezes superior ao aprovado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que recomenda como máximo 5 microgramas.

Portugal é o 17º melhor país neste ranking, contabilizando 6,8 microgramas, pelo que só 16 países/regiões apresentam melhor ar do que Portugal.

Sabia que…
A poluição atmosférica é responsável por cerca de 300.000 mortes prematuras por ano na Europa, contribuindo para problemas de saúde que incluem ataques cardíacos, acidentes vasculares cerebrais, doenças respiratórias, diabetes, demência, cancro e atrasos no desenvolvimento cognitivo das crianças.

Se for tido em conta apenas o continente europeu (representado por 2.006 cidades em 43 países) a Bósnia-Herzegovina aparece como o país mais poluído, enquanto o menos poluído é a Islândia (concentração média de 4 microgramas de PM2,5 por metro cúbico de ar).

Por cidades capitais, é Nova Deli, na Índia, a mais poluída, seguindo-se Daca, no Bangladesh, e Uagadugu, no Burkina Faso.

Roma, Berlim e Paris estão na lista amarela e Lisboa surge na lista verde, à frente de outras capitais a verde como Londres, Madrid, Copenhaga ou Luxemburgo.

San Juan (Porto Rico) aparece como a menos poluída, seguida de Wellington, Camberra e Reiquiavique.

Em termos de cidades europeias, no ano passado só 7% (135) atingiram os valores da OMS, incluindo todas as cidades da Islândia. As cidades de Portugal estão classificadas a verde, mas não no valor recomendado pela OMS.

Begusarai, na Índia, foi a área metropolitana mais poluída de 2023.

Entre outras conclusões do relatório mundial estão o facto de apenas sete países cumprirem a diretiva anual da OMS (Austrália, Estónia, Finlândia, Granada, Islândia, Maurícia e Nova Zelândia), que um terço da população em África não tem acesso a dados sobre a qualidade do ar, que as concentrações de PM2.5 aumentaram em quase todos os países do sudeste asiático, e que as 10 cidades mais poluídas do mundo estão na Ásia.

Artigo anteriorRewilding, solução para atingir metas da Estratégia Europeia para a Biodiversidade 2030
Próximo artigoCentro Comercial Colombo disponibiliza mais 20 pontos de carregamento