Guimarães foi reconhecida pelo CDP – Carbon Disclosure Project como uma das 120 cidades líderes mundiais no que respeita à ação e transparência ambiental.

OS CDP Awards Europe estão entre os principais eventos mundiais na área da sustentabilidade, distinguido empresas, cidades e municípios e os esforços que vêm desenvolvendo, de forma bem-sucedida, para alcançar a neutralidade carbónica.

O evento CDP Awards Europe, em Paris, procurou reconhecer as cidades que estão a liderar o caminho para limitar o aumento global das temperaturas a 1,5°C, protegendo o planeta e a natureza, tendo Guimarães sido a única cidade portuguesa reconhecida na Lista A do CDP pela excelência no combate às alterações climáticas. Neste âmbito, foi também lançado durante o evento o CDP Europe Report 2024, que proporciona anualmente insights sobre o progresso e os desafios ambientais na região.

No momento da entrega do prémio, Paulo Lopes Silva, vereador do município de Guimarães com a pasta da Cultura, Turismo e Transição Digital, sublinhou o “compromisso contínuo do município, cidadãos, instituições de ensino e empresas de Guimarães com as políticas que minimizem os impactos das alterações climáticas”.

Segundo esta autarca, Guimarães conseguiu “estar entre as 22 cidades europeias que atingiram a Lista A do CDP, revelando o sucesso e a transparência das estratégias adotadas no concelho, aliado ainda à transição digital”.

Atenas (Grécia)Münster (Alemanha)
Barcelona (Espanha)Oslo (Noruega)
Copenhaga (Dinamarca)Paris (França)
Elsinor (Dinamarca)Reiquiavique (Islândia)
Estocolmo (Suécia)Saragoça (Espanha)
Guimarães (Portugal)Tampere (Finlândia)
Lund (Suécia)Trondheim (Noruega)
Madrid (Espanha)Turim (Espanha)
Malmö (Suécia)Turku (Finlândia)
Mannheim (Alemanha)Uppsala (Suécia)
Milão (Itália)Vantaa (Finlândia)
As 22 cidades europeias da lista global de 120

Para Paulo Lopes Silva, “estamos no bom caminho, mas ainda há muito trabalho a desenvolver na transição verde, no qual o Bairro C – carbono zero terá certamente um papel preponderante, enquanto local de desenvolvimento de projetos que podem posteriormente ser replicados, servindo também de exemplo para outras cidades”, concluiu.

Neste percurso rumo à neutralidade carbónica até 2030, que inclui diversos projetos ambientais, integrando diversas redes locais, nacionais e internacionais para promoção e adoção de medidas de combate às alterações climáticas, o município de Guimarães está a preparar uma nova candidatura a Capital Verde Europeia, em 2026. Recentemente, o município iniciou também o Plano Municipal de Ação Climática (PMAC), com medidas e ações de mitigação e adaptação, com o objetivo de transformar Guimarães num território mais resiliente e climaticamente neutro até 2030.

A organização esclarece que as cidades que receberam a distinção máxima no ranking máximo do CDP adotam quatro vezes mais medidas de mitigação e adaptação climática do que as restantes.

Artigo anteriorProjeto Green Cork permite plantar mais de 1,5 milhões de árvores
Próximo artigoPostos Volt-E passam a ter terminais “Multibanco”